Maluf propõe criação do Programa de Saúde Itinerante para MT

ambulâncias compradas com recursos da al serão distribuídas a todos os municípios de mt



O deputado Guilherme Maluf apresentou Projeto de Lei (nº 206/2016) que cria o Programa Saúde Itinerante, no Estado de Mato Grosso. A iniciativa ficará sob coordenação da Secretaria de Estado da Saúde, por meio de atendimentos itinerantes de saúde, os quais consistirão em ações coletivas e integradas de saúde, desenvolvidas em localidades carentes de especialidades médicas, recursos laboratoriais e ambulatoriais, de forma a atender com a máxima amplitude a população do município, distrito ou região do Estado de Mato Grosso.

“Sabemos que diversos municípios mato-grossenses ainda não foram contemplados com a estrutura adequada para a população ter acesso ao atendimento de saúde especializado e que as demandas encontram-se represadas em quase todas as regiões do Estado. Diante disso, promover uma ação governamental é importante para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos mato-grossenses carentes de uma assistência à saúde”, defendeu o parlamentar.

De acordo com a propositura, os atendimentos itinerantes de saúde, além de exames clínicos, laboratoriais e procedimentos ambulatoriais, compreenderão, ainda, a orientação à população quanto a procedimentos e cuidados relativos às especialidades e objetivos de cada um deles.

“Para a realização dos atendimentos itinerantes de saúde, a Secretaria de Estado da Saúde agirá com a cooperação dos órgãos municipais e federais que atuam no município, distrito ou região a ser atendida”, afirmou Maluf.

Os serviços a serem prestados pelos atendimentos itinerantes de saúde abrangem o transporte da população de áreas rurais para os locais de atendimento e de um município para outro, quando assim demandar.

“A equipe presta atendimento médico e de enfermagem, efetua o cadastro de pacientes, realiza exames preventivos, como o de câncer de mama e útero, atualiza o calendário vacinal, além de ofertar teste sorológico para HIV, sífilis e hepatite”, explicou o deputado.