Mais de 24% das unidades fiscalizadas em Sorriso apresentam irregularidades

Mais de 24% das unidades fiscalizadas em Sorriso apresentam irregularidades



Operação contra furto de energia em Sorriso (distante 398 Km de Cuiabá) constatou que mais de mais de 24% das unidades consumidoras analisadas possuem algum tipo de irregularidade.

Das 1.344 unidades vistoriadas, 344 foram notificadas por furto ou desvio de energia. Nove pessoas foram presas durante os três dias da ação de impacto, que foi realizada em uma parceria entre a Energisa Mato Grosso e Secretaria de Segurança Pública do Estado (SESP), com participação da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

“A operação nos mostrou que há irregularidades em todos os grupos de clientes. A situação é preocupante, pois além de impactar no cálculo da tarifa de energia, prejudica a qualidade do fornecimento, ocasionando oscilações e até mesmo interrupções”, explica Sidney Tavares, gerente de Combate à Perdas da Energisa Mato Grosso.

Conforme Sidney, chama atenção a confirmação de 20 casos de furtos de energia entre grandes clientes, como indústrias. Durante a ação foram encontrados, por exemplo, clientes que construíram redes particulares de energia e fizeram a ligação à rede da Energisa sem fazer contato com a distribuidora, trazendo inúmeros riscos à população.

As ligações clandestinas apresentam maior vulnerabilidade da rede, aumento as chances de queimas de aparelhos, acidentes e até incêndios nos locais.

O delegado da Polícia Civil de Sorriso, Nilson Farias,  aponta a importância de atuar também nos grandes clientes. “A operação foi um sucesso para nossa região, trouxe mais credibilidade, mais confiança, pois a própria população passou a acreditar mais nos órgãos de Segurança Pública por observarem que a lei é aplicada para todas a pessoas sejam elas de classe baixa, classe média ou classe alta”, diz o delegado.

Sidney reforça que além dos problemas citados, a adulteração dos medidores e das instalações elétricas traz insegurança para os moradores do imóvel e para os vizinhos, uma vez que os equipamentos – que são vistoriados em fábrica para seguir padrões de segurança -, ficam comprometidos. Ele explica que a Energisa possui um Centro de Integrado de Monitoramento que mapeia as unidades consumidoras do Estado, identificando pelo histórico de consumo quais devem ser inspecionadas.

O furto de energia é um crime previsto no artigo 155 do Código Penal, com previsão de pena de uma a quatro anos de reclusão, além de pagamento de multa.  “Não deixe de denunciar. Temos canais abertos para isso, como o 0800 646 4196 e o aplicativo Energisa On. Você não precisará se identificar”, fala Sidney.

A operação de impacto, que ocorreu entre os dias 14 e 16 de agosto, contou com mais de 110 profissionais da Energisa, além das equipes da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Civil e da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).