Longe da política, Maggi deve mudar de domicílio eleitoral

Blairo Maggi participa do Projeto Mais Milho em Rondonópolis
Valter Campanato/Arquivo/Agência Brasil



O ex-ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), deve mudar o domicílio eleitoral e deixar de votar em Rondonópolis nas próximas eleições. Maggi, ao que tudo indica, vai se estabelecer no âmbito eleitoral na capital, Cuiabá.

Ele, que sempre votou em Rondonópolis, na Escola Sagrado Coração de Jesus, vai quebrar uma tradição de quase 40 anos, desde quando chegou em Mato Grosso. A mudança de domicílio, vai refletir também na participação de Maggi, no processo eleitoral local. Maggi, que já estava afastado das eleições na cidade deve ficar ainda mais distante.

A última vez que Maggi se posicionou publicamente em um processo eleitoral foi em 2012, quando declarou apoio ao ex-prefeito Ananias Filho que enfrentou Percival Muniz. Ananias, no entanto, foi derrotado por Percival, o ex-vereador Juca Lemos também esteve presente naquele processo.

Maggi, por outro lado, havia se manifestado em outros processos em Rondonópolis, amargando sucessos e também derrotada. Em 1996, ele ainda não militava de forma ativa na política, era sim, um empresário de sucesso. Naquelas eleições, Maggi apoiou Augustinho de Freitas, que saiu de derrotado por Alberto de Carvalho e que ainda tinha como concorrente, Edmilson Paulista.

Nas eleições seguintes, em 2000,  Maggi declarou apoio ao ex-prefeito Percival Muniz e começava a flertar de forma mais ativa com a política. Em troca, Percival  foi um dos principais apoiadores do então empresário, que ainda ajudou na articulação para a vitoriosa campanha para o governo do Estado.

No processo de 2004, Maggi já como governador foi peça decisiva para o processo que elegeu Adilton Sachetti. Em 2008, ele junto com Sachetti, amargou uma derrota, para o então deputado Zé Carlos do Pátio.

Nas eleições de 2016, Maggi adotou uma política de neutralidade. Não declarou apoio a Percival, nem a Rogério Salles, que também foi candidato a ao vitorioso Zé do Pátio.

Para o ano que vem, Maggi tem dito, que pelo menos em Rondonópolis, deve manter a mesma postura. Poderia até mudar de ideia em uma eventual candidatura de Sachetti.

Nas eleições passadas, tanto para o comando do Estado e para presidente, publicamente Maggi não se manifestou. O ex-ministro inclusive tem garantido que não deve continuar disputando cargos eletivos.

Leia mais sobre o assunto:

Blairo Maggi abre as portas do Mapa à futura ministra