Lideranças femininas de Cuiabá e Rondonópolis reforçam apoio a Euclides Ribeiro

“Eu aceitei participar desse projeto, primeiro por entender que o Euclides é o novo, segundo pelo respeito que o projeto do Euclides tem com o servidor público. Um projeto que vai nos valorizar, com respeito, com responsabilidade, porque é disso que nós precisamos. Esse é o momento de pensarmos no que nós queremos para o Estado de Mato Grosso, e não só para os servidores, mas para toda a população. E por isso eu dei o meu sim”, defendeu professora Francileide (PSB), primeira suplente na chapa do candidato ao Senado, Euclides Ribeiro (Avante).

A declaração foi dada na noite de ontem (27), no lançamento da candidatura dos vereadores pela coligação “Mãos Limpas Unidas por Cuiabá”, que é encabeçada pela candidata a prefeita em Cuiabá, Gisela Simona (Pros), e seu vice, Maestro Fabrício Carvalho (PDT).

Já Gisela, em seu discurso, comemorou a presença de mais uma mulher na aliança e destacou a afinidade de ideias que a levou a referendar o nome de Ribeiro como candidato ao Senado pela coligação. O PROS foi o primeiro partido a fechar aliança com o advogado.



“É uma alegria tê-la com a gente, professora [Francileide]. O Euclides foi a nossa maior descoberta. Desde a primeira vez que me sentei para conversar com ele e ouvir suas propostas, eu tive a certeza de que ele era o melhor para ocupar esse cargo. Quando eu estava no Procon, recebia todos os dias pessoas que me pediam pelo amor de Deus por uma ajuda, porque estavam com a luz cortada e, se pagassem a conta de energia, não teriam dinheiro para comer. Enquanto isso, deviam rios de dinheiro para o banco, que lucrava em cima de juros exorbitantes”, contou a candidata a prefeita.

“É isso que me interessa nessa aliança, saber que quando ele estiver lá em Brasília, vai ser o responsável por mudar a vida dessas pessoas. Mesmo não ocupando cargo eletivo, ele participou da construção do PL 35/15, que está engavetado há oito anos. Nós precisamos do Euclides no Senado, para mudar essa realidade”, acrescentou Gisela.

Com forte histórico de atuação nas redes de educação pública e privada de Mato Grosso, Francileide trabalhou nas escolas Sagrado Coração de Jesus, José de Moraes, Jean Piaget e Liceu São Francisco de Assis. Foi assessora pedagógica do Estado e professora formadora do Centro de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação Básica (Cefapro).