Jihadistas ameaçam matar japonês e jordaniano

obama diz considerar brasil um líder mundial



Faltam poucas horas para o fim do prazo que o grupo Estado Islâmico deu para a troca de dois reféns pela jihadista iraquiana Sajida al-Rishawi presa e condenada à morte na Jordânia.

Caso a exigência não seja cumprida, o grupo terrorista disse que vai matar os dois prisioneiros, o jornalista japonês Kenji Goto e o piloto jordaniano Maaz al-Kassasbeh.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse hoje estar chocado com as ameaças do grupo terrorista, e garantiu que o governo estava pedindo a cooperação da Jordânia.

O primeiro-ministro convocou uma reunião de gabinete e pediu para que sejam tomadas todas as medidas cabíveis para garantir a segurança dos japoneses e também dos outros cidadãos japoneses que estão no exterior.