Irmãos são detidos com 37 mil cápsulas de “rebite”

Reprodução/PM MT

Uma operação que empregou seis policias do 22º Batalhão de Peixoto de Azevedo e da 2ª Companha de Polícia Militar de Matupá resultou na prisão, ontem à noite (2106), de dois suspeitos e apreensão de um carregamento de 37.500 cápsulas de nobésio (rebite ou bolinha), droga sintética traficada do Paraguai.

À base de anfetaminas, de consumo proibido, é utilizada principalmente por pessoas que querem permanecer acordadas enquanto desenvolvem atividades por longos períodos ininterruptos. O efeito seria o aceleramento das funções cerebrais.

A PM começou a atuar nessa ocorrência a partir de informações sobre uma pessoa que desembarcaria na estação rodoviária de Matupá. O homem viria em um ônibus trazendo grande quantidade de substância entorpecente. Os policiais organizaram um esquema de acompanhamento de desembarques e flagraram um suspeito com características similares as das informações recebidas.

Os policiais fizeram a abordagem assim que o passageiro acabou de fazer o repasse de uma mochila e uma mala para a carroceria de uma caminhonete Fiat Strada com placa de Tabapoá, São Paulo. Os dois homens, o que entregou e o que recebia a droga, foram presos. São os irmãos R.C.D., 36, e R.C.D., 30.

Os irmãos confessaram o tráfico, disseram aos policiais que a droga veio do Paraguai, mas haviam comprado em Goiás, na cidade de Anápolis, por R$ 7 mil, e deveria revendê-la em Matupá e região. Na revenda, disseram, o faturamento poderia chegar a R$ 50 mil. Venderia cada porção de 15 comprimidos por R$ 20.

Os dois foram presos, e os 37.500 comprimidos e o carro usado no tráfico foram entregues na Delegacia de Polícia de Matupá para que a Polícia Civil possa adotar as medidas legais, como autuação criminal dos suspeitos.