Irma deixa pelo menos 10 mortos em Cuba

itália se prepara para eleições em 2018 após presidente dissolver parlamento



Pelo menos 10 pessoas morreram em Cuba em consequência dos efeitos do furacão Irma, informaram nesta segunda-feira (11) fontes da Defesa Civil cubana. A maioria das vítimas morreu por causa do desabamento de edifícios, sete delas em Havana, ainda que o furacão também tenha provocado fortes inundações no litoral norte do país. A informação é da EFE.

Em uma mensagem dirigida à população, Raúl Castro apelou ao espírito "de resistência e vitória dos cubanos" após a passagem do devastador furacão, que causou "severos danos" ao país, segundo o comunicado, publicado no jornal oficial Gramma.

Castro destacou que face ao fenômeno "sobressaiu a unidade dos cubanos, a solidariedade entre os moradores e a disciplina perante as orientações feitas pelo Estado Maior Nacional da Defesa Civil".

Na mensagem, Castro precisou que o "furacão afetou moradias, o sistema elétrico e a agricultura", e além disso atingiu alguns dos destinos "turísticos" da ilha, que “serão recuperados antes do início da alta temporada", em novembro.

"Foram dias duros para o nosso povo, que em poucas horas viu como o que foi construído com esforço foi golpeado por um devastador furacão", disse o presidente cubano.

O Irma castigou o litoral norte de Cuba como furacão categoria 4 durante a sexta-feira e o sábado, provocando graves inundações e obrigando a evacuação de cerca de 1,7 milhão de pessoas.