Ipem-MT faz testes em medidores de pressão de hospitais

O Hospital Metropolitano de Várzea Grande foi o primeiro da lista e teve uma aprovação de 100%, enquanto que o Hospital do Câncer de Mato Grosso teve três dos dezessete aparelhos reprovados.

Foto por: Ipem-MT

O esfigmomanômetro é um aparelho muito importante para a população e para os profissionais da saúde, afinal, é por meio dele que a pressão arterial é aferida. Por isto, o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-MT), junto com a Secretária de Estado de Saúde (SES-MT), está fiscalizando estes instrumentos para garantir maior segurança e bem-estar das pessoas.

De acordo com o presidente do Ipem-MT, Bento Bezerra, o Hospital Metropolitano de Várzea Grande teve uma aprovação de 100%: “Dos 32 que nos foram enviados, todos foram aprovados”. Atualmente, o local tem cerca de 90 aparelhos, porém há aqueles destinados a UTI e outros necessários para suprir o sistema. O Hospital do Câncer de Mato Grosso, por sua vez, teve três dos dezessete aparelhos enviados reprovados.

Para serem aprovados são feitos dois testes, no primeiro são avaliados a higienização e se há vazamentos ou perda de pressão. Caso aprovado, o manômetro segue em comparação com o padrão: “Há uma tolerância de até 4 mg. Tanto na fase crescente (que vai de 30 mg a 280 mg de mercúrio) quanto na fase decrescente (de 280 mg a 30 mercúrio) ”. Segundo Bezerra, isto quer dizer que caso o padrão esteja no 30 mg e o manômetro no 34 mg, ele está aprovado.

Para ter o selo do Inmetro, no entanto, é necessário que o esfigmomanômetro passe nas duas fases. Reprovado em uma delas, ele retorna para o hospital com a solicitação para manutenção.

Outros hospitais:

Na próxima semana (de 8 a 12.03) estarão em fiscalização os aparelhos do Hospital Estadual Santa Casa e outros de Cuiabá. E de segunda-feira (15.03) até sexta-feira (19), os hospitais de Sorriso, Sinop e Colíder terão aparelhos testados.