Influenciadora digital venceu o preconceito e hoje através da internet ensina pessoas a superá-lo

Carol Nunes precisou mostrar o seu valor para o mundo e vencer o preconceito. Hoje ela ensina e motiva mulheres na internet a se tornarem a melhor versão de si mesmas e vencer.

Reprodução / MF Press Global

Nunca os direitos humanos estiveram e a relação que a sociedade tem com minorias esteve tão em discussão como nos últimos tempos. Neste momento, protestos acontecem por todo o mundo contra o autoritarismo e a segregação racial e social, dando voz àqueles que são oprimidos e colocando a questão no centro da problemática dos nossos dias.

Reprodução / MF Press Global

No entanto, infelizmente, muitas pessoas sofrem diversos tipos de preconceitos, que vão além do racismo mas são igualmente fruto da ignorância e do descaso pelo próximo. A influenciadora digital Carol Nunes é um exemplo disto.

Reprodução / MF Press Global

Ela deu a volta por cima sobre o preconceito e do julgamento alheio, devido a ter origem na periferia do norte fluminense e ser filha de um ex-traficante para se tornar uma referência para mulheres que sofrem agressões físicas e morais e são discriminadas, seja por condição social, origem ou etnia.

Reprodução / MF Press Global

“Já tive depressão e crise nervosa de tanto que fui julgada e discriminada a minha vida toda por causa do histórico do meu pai e da minha origem. As mães das minhas amigas diziam para elas se afastarem de mim e as pessoas na minha rua diziam que eu era prostituta, que abrigava traficantes em minha casa, que eu vendia drogas. Todas essas calúnias mesmo sem eu nunca ter participado de nenhuma das atividades ilícitas que o meu pai se envolvia. Contudo, mesmo depois do meu pai ter abandonado o tráfico e passar a levar uma vida diferente, e mesmo eu tendo crescido e já não vivendo com ele há anos, pois eu era criança quando morei com ele, continuei sendo discriminada. Estou inclusive tendo de processar pessoas por calúnia e difamação.”

Reprodução / MF Press Global

Carol Nunes vive em São Gonçalo, no Rio de Janeiro e reconstruiu a sua vida. Empresária e independente, hoje ela ensina o segredo para vencer o preconceito: “seja qual for o preconceito, sobre sua condição social ou raça, seja mais forte. Não vai ser fácil. Mas não podem nos calar para sempre. A qualidade de um vencedor é nunca desistir então mesmo que leve tempo, não se deixe abater pelo opressor, por aquele que diz que você é incapaz na verdade só quer diminuir você para ele se sentir superior, seja moralmente, socialmente, etc. Resista e diga não ao preconceito com as suas atitudes.”