Indignado, secretário de Agricultura critica fechamento da Unidade Avançada do Incra em Rondonópolis

Indignado, secretário de Agricultura critica fechamento da Unidade Avançada do Incra em Rondonópolis
Foto: Diego Utida

O fechamento da Unidade Avançada do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Rondonópolis trará prejuízos incalculáveis para a região. Assim o Secretário Municipal de Agricultura, Genilton Pereira de Souza, reagiu à notícia da extinção da unidade da entidade no município e a sua restituição para Colíder, cidade do norte do Estado.

Assinado pelo Superintendente do Incra em Mato Grosso, Ivanildo Teixeira Thomaz, o comunicado do encerramento das atividades foi feito no dia 24 de julho ao chefe da unidade avançada em Rondonópolis, Nelsivon Silva Gomes, que foi exonerado da sua função pela Portaria 1529/2019, assinada pelo Presidente Nacional do Incra, o General do Exército João Carlos Jesus Corrêa.

“Precisamos nos mobilizar para reverter”, ressaltou o indignado Genilton, acrescentando que a extinção da unidade de Rondonópolis “é um retrocesso para processo de reforma agrária e a regularização fundiária das propriedades rurais em nossa região. Precisamos que o Incra permaneça em Rondonópolis para continuar atendendo as pessoas dos nossos municípios, que sem a unidade aqui precisarão agora se deslocar até Cuiabá”, completou.

Ele classificou ainda a decisão do governo federal em extinguir a unidade de Rondonópolis como “descaso” e “insensibilidade” com os pequenos produtores rurais da região, que conta com mais de 100 assentamentos. Lembrou também que a unidade avançada do município é subsidiada pela Prefeitura de Rondonópolis, através de um termo de parceria técnica firmada pelo Prefeitura com o Incra.

Para tentar reverter a situação, assim que recebeu a notícia do fechamento, Genilton disse que tentou falar com o Superintendente do Incra em Mato Grosso, via telefone, mas não obteve sucesso. “Liguei várias vezes ao longo do dia, mas não conseguir falar”, comentou.

Informou ainda que já iniciou o processo de mobilização das forças políticas de Rondonópolis e região. Ele já esteve na Câmara de Vereadores de Rondonópolis na tarde desta quarta-feira (24), onde ficou definida a elaboração de um documento, assinado pelos 21 vereadores, para ser enviado à direção da entidade, expondo os motivos e pedindo que a unidade avançada do Incra permaneça em Rondonópolis. “Estamos contatando também as autoridades políticas da nossa região e ainda dos municípios que serão prejudicados com esta medida insensível do governo federal”.