Indígenas desfazem bloqueio após seis dias em rodovia federal de MT

| guiratinga | prefeitura amplia distribuição de água no distrito do alcantilado



Terminou nesta quinta-feira (18) o bloqueio realizado por indígenas há seis dias na rodovia federal BR-174, em trecho entre Comodoro (cidade a 677 km de Cuiabá) e Vilhena, no estado vizinho de Rondônia. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) confirmou o encerramento do bloqueio, no qual índios da etnia Nhambiquara mantiveram cobrança de pedágio dos motoristas em reivindicação, entre outros, por licenciamento ambiental de 4 mil hectares, pela instalação de energia elétrica nas comunidades indígenas e pelo cascalhamento das estradas de acesso a elas.

Segundo a PRF, o bloqueio se encerrou às 18h desta quinta-feira e sem qualquer tipo de distúrbio. Já as lideranças indígenas divulgaram que o desbloqueio ocorreu às 15h30.
De acordo com o presidente da Associação Manduka Haiyô, Mané Manduka, não houve pressão das autoridades para o fim do bloqueio e a iniciativa de encerrá-lo foi dos próprios indígenas. Segundo a PRF, o desbloqueio foi realizado pelos indígenas às 18h com a chegada de máquinas de cascalhamento para obras que eles cobravam.

“O manifesto valeu a pena porque conseguimos a conclusão da instalação de energia elétrica nas nossas comunidades e ainda um acordo para o cascalhamento das estradas”, avaliou.

Segundo o líder indígena, a principal questão, porém, ainda não foi atendida. “Nós queremos um licenciamento de 4 mil hectares para podermos sobreviver”, relata.

Ele contou ainda que 100 hectares estão disponíveis atualmente para os indígenas, mas que esse espaço serve apenas para subsistência. As comunidades, explicou, precisam de mais espaço. “A gente precisa produzir e gerar renda para a comunidade. Não queremos terra apenas para enterrar nossos mortos”, enfatizou.

Manduka também não descartou a volta de um bloqueio caso os pedidos dos indígenas não sejam atendidos. “Temos que fazer pressão. Sem pressão, nem nossos 100 hectares teriam saído”, argumentou.