Incêndio no Pantanal: Rota do Oeste disponibiliza R$ 20 mil em medicamentos para atendimento de animais silvestres

Aquisição de materiais foi alinhada junto ao CRMV/MT, que fará a destinação ao PAEAS

O atendimento destinado aos animais silvestres vítimas dos incêndios registrados no Pantanal mato-grossense ganhou um reforço de R$ 20 mil em medicamentos disponibilizados pela Concessionária Rota do Oeste, que administra 850,9 km da BR-163/MT. O material foi entregue ao Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso (CRMV/MT), que fará a destinação ao Posto de Atendimento a Animais Silvestres (PAEAS) Pantanal, instalado na rodovia Transpantaneira, que liga Poconé e Porto Jofre.

Embora o Pantanal não faça parte do trecho sob concessão, a Rota do Oeste entende que este é um momento crítico que precisa do apoio de empresas mato-grossenses e da sociedade em geral para minimizar o sofrimento dos animais, bem como garantir a possibilidade de assistência por parte dos voluntários que estão dedicados em prestar auxílio aos sobreviventes.

A aquisição dos medicamentos foi alinhada junto ao CRMV que indicou os materiais com maior necessidade e urgência para a prestação dos serviços. O gerente de Sustentabilidade da Rota do Oeste, Wilmar Manzi, destaca que o interesse da empresa é atender de forma mais satisfatória, entregando os medicamentos cruciais para um atendimento eficaz aos animais, sempre oportunizando a recuperação e a diminuição do sofrimento deles. “O cenário apresentado é de emergência, por isso atuamos de maneira rápida e transparente para obter os medicamentos e aliviar os impactos das queimadas no Pantanal mato-grossense, que é um dos biomas mais preservados do País”, comenta Manzi.

O presidente do CRMV/MT, Roberto Renato Pinheiro da Silva, reforça que os medicamentos, insumos e utensílios recebidos são dedicados ao tratamento dos animais resgatados, que após restabelecidos serão devolvidos à natureza. Reforça ainda que em uma situação grave como a que está ocorrendo no Pantanal, a união de todos é fundamental. “Sociedade, empresários, serviço público, todos devem lutar pela mesma causa ambiental. Esta é uma ação para salvar vidas de muitas espécies e quando se fala em vidas, toda ajuda é bem-vinda. Agradecemos a todos que ajudaram. Uma vida não tem preço”.

Entre os funcionários da Rota do Oeste também ocorreu a mobilização para arrecadação de alimentos e água para ao atendimento dos animais afetados pelo pior incêndio no Pantanal dos últimos anos.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em agosto o Pantanal registrou um aumento de 202,31% de área queimada em relação a julho de 2020. Queimando há mais de 40 dias, o Pantanal Mato-grossense é o bioma mais atingido no estado e mais de 20% da área foi queimada nos últimos dois meses.

O que é o PAEAS?

O Posto foi criado em 30 de agosto para oportunizar o resgate, atendimento inicial, recuperação e assistência com mantimentos aos animais silvestres atingidos direta ou indiretamente pelos incêndios no Pantanal. A unidade integra as ações do Centro Integrado Multiagências (Ciman).

Segundo o Paeas, o Posto já atendeu muitas espécies de pequeno e grande porte, como onças, lobetes, iguana, anta, jabuti, garça, jaguatirica, tamanduá, entre outros. A unidade funciona com apoio das Secretarias Estaduais de Meio Ambiente, Segurança Pública, Saúde, universidades federais (UFMT e IFMT), Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Polícia Ambiental, Marinha, Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-MT), Ordem dos Advogados do Brasil, ONG Ampara Silvestre, Clínicas Veterinárias, Ibama, Prefeitura Municipal, trabalho voluntário e doações.