Herpes transmitida por humanos causou a morte de 16 macacos no Mãe Bonifácia

Parque Mãe Bonifácia será reaberto no sábado (28.11). A Unidade de Conservação estava fechada desde o dia 30 de outubro

Animais no Parque Mãe Bonifácia - Foto por: Christiano Justino/ Sema-MT

Uma infecção por Herpes Simplex foi a causa da morte de 16 macacos sagui no Parque Estadual Mãe Bonifácia, em Cuiabá. O vírus é passado do homem para o macaco por meio de alimentos contaminados ou pelo contato direto.

O Herpes Simplex apesar de quase sempre causar sintomas brandos em humanos, como aftas e, em alguns casos febre, é fatal para os macacos. O humano pode transmitir a doença mesmo sem estar com manifestação clínica aparente.

Nos macacos o Herpes Simplex desenvolve um quadro severo inflamatório que pode afetar diversos órgãos, podendo causar lesão de pele e nas mucosas e atingir pulmão, coração, fígado e no sistema nervoso central. A principal manifestação é neurológica.




Depois que um macaco do grupo é contaminado a tendência é que ele espalhe entre os agregados e a doença, por ser altamente fatal, pode fazer com que todos os membros de um bando morram. Com a possibilidade, inclusive, de contaminar outros grupos de primatas.

Os saguis foram enviados pelo Centro de Controle de Zoonose de Cuiabá para a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Mato Grosso. Os exames foram realizados pela UFMT e pela Universidade de Brasília (UNB).

Servidores da Secretaria de Meio Ambiente (Sema-MT) e Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA) e especialistas dos órgãos envolvidos nas análises clínicas atenderão a imprensa nesta sexta-feira, às 10h, no Parque Mãe Bonifácia, na Praça do Cerrado.

O parque Mãe Bonifácia será reaberto no sábado (28.11). A unidade de conservação permaneceu fechada para varreduras sanitárias e isolamento dos saguis desde o dia 30 de outubro.

A Sema reforça a orientação de não alimentar animais nos parques estaduais por conta própria. A alimentação inadequada é prejudicial ao animal silvestre e traz riscos, tanto aos bichos quanto a população, gera um desequilíbrio na cadeia alimentar e é proibido por lei.

As gerencias dos parques estaduais estão abertas e quaisquer dúvidas sobre regras do parque e hábitos alimentares animais podem ser esclarecidas junto com os servidores que atuam no local.