| Guiratinga | Comissão conclui Relatório sobre desvio de dinheiro na prefeitura

| guiratinga | comissão conclui relatório sobre desvio de dinheiro na prefeitura

A Comissão de Processo Administrativo Disciplinar, instaurada para apurar desvio de conduta no Setor de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal de Guiratinga, concluiu seus trabalhos na última sexta feira (03) apresentando sucinto Relatório ao prefeito municipal Hélio Goulart.
Instalada pelo Decreto n. 160/2015 de 27 de outubro de 2015, que nomeou os servidores Gilmar Almeida Nunes, Marcus Vinicius Silva Dias e José Teodoro Filho, como membros, a Comissão realizou um exaustivo trabalho de levantamento de dados e oitiva de funcionários que resultou num polpudo relato de nada menos que 11 volumes que resultam num calhamaço de mais de 2.500 páginas.
Ao encerrar seu Relatório, a Comissão concluiu pela culpa do servidor, Diretor do Departamento de Recursos Humanos, Domilson de Oliveira, indicando o indiciamento e demissão do suspeito pelo desvio de aproximadamente 750 mil reais, num período de 13 anos, quando aproveitava o envio eletrônico da Folha de Pagamento dos servidores para o Banco, realizando créditos suplementares em sua própria conta, a cada mês.
Pelos relatórios fornecidos pelo Banco do Brasil, os desvios foram iniciados em 2002, no início da administração do ex-prefeito Francelino Pedro da Silva Filho, até quando foram descobertos no mês de outubro de 2015, na atual gestão. É bom lembrar que exatamente no ano de 2002, foi iniciado o pagamento eletrônico da Folha, via Banco.
O Relatório conclui e sugere pela demissão do servidor, ressarcimento independente de punição penal cabível e encaminhamento ao Ministério Público, para eventuais providencias cabíveis em nível do judiciário.
De posse deste complexo Relatório o prefeito Hélio Goulart, agora, fará uma análise do conteúdo e deverá ou não acatar a sua conclusão, decidindo pela demissão do servidor e envio de toda esta documentação para o Ministério Público e para a Delegacia Fazendária que devem iniciar o procedimento policial que desaguará no processo para punição penal do envolvido.
“Este é um dos mais complicados capítulos da administração pública municipal dos últimos anos, pois, envolveu uma pessoa de absoluta confiança, por um período tão longo, em governos distintos e com desdobramentos intrincados. Vamos esperar que a investigação policial e a auditoria imposta pelo prefeito Hélio Goulart consigam trazer para a sociedade todas as particularidades que este caso requer, para evitar que pairem dúvidas dentro da própria administração com relação a toda sua extensão”, disse o advogado que vem orientando toda à tramitação do processo, Rogério Arcoverde.