Governo do Estado oferta curso de alfabetização a 2,5 mil alunos

piso salarial dos professores tem reajuste de 6,81%



Cerca de 2.500 alunos começam, nesta terça-feira (02.05), a frequentar as aulas do Programa Muxirum da Alfabetização, promovido pela Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc-MT), em parceria com municípios. A iniciativa visa à implementação de ações conjuntas que assegurem a instrução de pessoas jovens, adultas e idosas.

Nesta primeira fase, o programa abrange os municípios de Várzea Grande, Chapada dos Guimarães, Nossa Senhora do Livramento, Tapurah, Ipiranga do Norte, Nova Brasilândia, Jangada, Planalto da Serra e Acorizal.

Ao todo, 207 alfabetizadores participam do programa, que tem como meta alfabetizar cerca de cinco mil pessoas nestas regiões.

De acordo com o secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer, Marco Marrafon, o programa tem como meta alfabetizar 11,2 mil mato-grossenses no período de um ano e meio. “Ao atingirmos essa meta, reduziremos drasticamente o índice de analfabetismo no estado e, além disso, vamos cumprir um das metas do Plano de Governo”, afirmou.

As aulas ocorrem em escolas e espaços diversos, como salões paroquiais, centros comunitários, escolas das redes municipal e estadual, sedes de fazendas e até mesmo nas residências.

“Nosso desafio é identificar onde estão esses jovens ou idosos, que não tiveram a oportunidade de passar pela alfabetização na infância, e lhes proporcionar uma nova chance de ingressar nos estudos”, destaca o coordenador do programa na Seduc, Abílio Fernandes.

Um dos novos alunos é o senhor Manoel Gonçalo, morador de Nossa Senhora do Livramento (34 km ao Centro-Sul de Cuiabá), que aos 74 anos se emociona pelas possibilidades de aprendizagem. "Quero agradecer a Deus por me dar essa oportunidade de estudar, coisa que nunca fiz nos anos que realmente era para eu ter estudado. Vejo que não é tarde e ainda dá tempo”, disse.

Valdevino Alves dos Santos, de 72 anos, que por muitos anos foi trabalhador braçal na zona rural, também integra o grupo no município de Várzea Grande. “Fui roceiro toda minha vida, não tive oportunidade de estudar, até hoje sinto muita falta do estudo, vejo as letras e não entendo, mas tenho a esperança de que após o curso vou conseguir enxergar o mundo de outra maneira, entendendo as letras e escrevendo por minha própria conta”.

Parceria

Para o andamento do projeto, a Seduc garante formação de coordenadores e formadores de turmas, o custeio de bolsas aos alfabetizadores, a cessão de salas de aula em prédios do Estado e demais necessidades. A estimativa é de que sejam investidos aproximadamente R$ 1,5 milhão.

Caberá aos municípios mobilizarem a sociedade, selecionar e manter os coordenadores locais, vinculados às Secretarias Municipais de Educação, auxiliar na busca de pessoas analfabetas, ceder espaços funcionais, entre outros.