Governo de MT dá sequência no plano de ações e fará intervenção imediata na Baía de Chacororé

Uma vistoria com representantes da Assembleia Legislativa, Sinfra e Sema, será feita no local na próxima sexta-feira (15)

Sema se reúne com a Sinfra e deputados para traçar ações emergenciais na Baía de Chacocoré - Foto por: Assessoria

O Governo de Mato Grosso irá executar um plano de ações para a recuperação da Baía de Chacororé, em Barão de Melgaço (113 km de Cuiabá). Intervenções imediatas para elevar o nível da água em caráter emergencial foram definidas durante reunião entre a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), e deputados estaduais na tarde desta quarta-feira (13.01).

As ações que serão executadas de forma emergencial, e possíveis responsabilizações por obstruções encontradas ou obras irregulares, serão pontuadas em uma visita técnica que acontecerá na próxima sexta-feira (15.01), com representantes da Assembleia e do Executivo.

“Estamos reforçando o compromisso do Estado em dar sequência aos esforços que já estamos empreendendo desde 2019, e 2020, para que a localidade não seja atingida com severidade pelo período da estiagem. Vamos identificar ações emergenciais que podem ser feitas mesmo agora, no período das chuvas, e o planejamento realizado pela Sema no ano passado será executado na seca”, pontua a secretária de Meio Ambiente.




A reunião contou com a presença dos deputados Carlos Avallone, presidente da Comissão de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Recursos Minerais da Assembleia Legislativa, e Faissal Calil, além do secretário da Sinfra, Marcelo Oliveira, do professor e engenheiro Rubem Mauro, e de técnicos ambientais e da pasta de Infraestrutura e Logística (Sinfra).

Na ocasião, foi discutida a situação atual da Baía de Chacororé, que registra a obstrução de cursos de água e desmoronamento de barragens, tanto por ação humana, como do tempo. As mudanças ocasionaram seca em parte da planície que deveria estar alagada para preservar as características ambientais.

Foto por: Assessoria

O deputado Faissal Calil afirma que a Assembleia está disposta a colaborar, e que vê que os encaminhamentos dados estão de acordo com a urgência da ocasião.“O trabalho dos órgãos envolvidos é bastante produtivo, tanto pelo lado técnico e operacional, quanto pela preocupação com a situação local. Espero que em breve possamos restaurar aquele bioma da região que é de suma importância para o pantanal”, avalia o parlamentar.

Rubem Mauro, engenheiro assessor da Comissão de Meio Ambiente da AL, acredita que com os encaminhamentos práticos da reunião vieram em um momento decisivo, e será possível resgatar a biodiversidade no local.  “É assim que tem que ser, achei que indo direto no local onde ocorre um problema, e colocando as condições para resolver teremos um resultado melhor do que eu imaginava. Será a redenção da baía”, afirma no encontro.

Vistoria e ações imediatas

Representantes da Assembleia Legislativa, da Sema e da Sinfra percorrerão a região da baía de Chacororé para identificar ações emergenciais a serem implementadas. Nas imediações da estrada conhecida como Estirão Cumprido, que margeia a baía, serão identificados novos pontos que necessitam de abertura para a passagem da água.

Outra ação a ser realizada ainda durante a vistoria é a identificação das pontes que precisam ser reformadas e dos corixos que precisam ser desobstruídos, além do que já pode ser realizado para a limpeza e recuperação desses locais. Entre eles, estão os corixos Caiçara e da Uva, por exemplo, necessários para a entrada da água do rio Cuiabá afim de abastecer a Baía Chacororé.

Já o trecho na rodovia MT-140, entre Porto de Fora e o Morro do Meio, também será vistoriado para a definição de quais estruturas terão que ser instaladas para a passagem da água, a fim de melhorar o escoamento rumo à baía.

Todo esse levantamento vai subsidiar o plano de ações a ser executado pelo Governo de Mato Grosso, bem como encaminhado aos órgãos de fiscalização, como o Ministério Público do Estado, e de proteção ambiental para equacionar a recuperação da área.