Formação voltada à educação do campo e quilombola começa nesta quarta-feira

Formação voltada à educação do campo e quilombola começa nesta quarta-feira

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) realiza uma webformação para as Diretorias Regionais de Ensino (DREs) e professores das áreas de “Ciências e Saberes do Campo” e “Ciências e Saberes Quilombolas”. O evento começa nesta quarta-feira (23.06), será transmitido pelo canal da Seduc no YouTube das 9h às 11h.

Serão cinco etapas, todas de forma virtual. As outras etapas serão realizadas nos dias 30 de junho, 07, 14 e 21 de julho. A abertura terá como tema “Reflexões sobre as legislações da educação do campo e educação escolar quilombola” e conta com a presença das professoras doutoras Nilza Cristina Gomes de Araújo (UFMT) e Marinei Almeida (Unemat).

A formação é realizada pela equipe da Coordenadoria de Educação do Campo e Quilombola (COCQ), da Superintendência de Diversidades (SUDI) da Seduc.

Vivências, memórias e tecnologias

O objetivo da formação é propor reflexões e ações que estimulem o desenvolvimento de práticas pedagógicas nas escolas do campo e quilombola que consideram as vivências, memórias e tecnologias dessas comunidades.

Segundo a superintendente de Diversidade Educacional da Seduc, Lúcia Aparecida Santos, as transmissões dos encontros serão realizadas apenas para as DREs e professores da Parte Diversificada previamente inscritos.

“A webformação tem carga horária de 60 horas e certificação. Após os cinco encontros virtuais, as DREs e professores que participarem dos encontros deverão fazer um repasse para os demais professores da escola”.

Conforme a superintendente, o objetivo é envolver toda a comunidade escolar no fortalecimento do currículo da educação do campo e quilombola.

Os participantes da formação deverão produzir artigo ou relato de experiência a ser publicado posteriormente na Revista digital da Coordenadoria de Educação do Campo e Quilombola.

O currículo

As escolas estaduais quilombolas e do campo possuem um currículo diferenciado, composto pela Base Nacional Comum Curricular e a Parte Diversificada.

A parte diversificada, chamada de “Ciências e Saberes do Campo” e “Ciências e Saberes Quilombolas”, integra os conhecimentos locais das comunidades aos conhecimentos da base, conforme prevê as legislações nacionais e estaduais.

A área de “Ciências e Saberes do Campo”, com abordagem em agroecologia, agricultura familiar e economia solidária, leva o estudante a pensar em suas raízes culturais, que inclui o vínculo com determinados tipos de processos produtivos, estimulando o protagonismo juvenil através da valorização de sua cultura e experiências.

A área “Ciências e Saberes Quilombola”, com os componentes curriculares “Práticas em cultura e artesanato quilombola”, “Prática em técnica agrícola e quilombola” e “Prática em tecnologia social”, estimula o estudante a valorizar sua identidade, ancestralidade, história e memória.

Noticias Relacionadas