Força Aérea dos EUA divulga imagens detalhadas do seu novo bombardeiro nuclear

R7

R7

B-21 Raider é desenvolvido pela Northrop Grumman, empresa do setor de defesa dos EUA - Força Aérea dos EUA/Divulgação

Força Aérea dos EUA divulga imagens detalhadas do seu novo bombardeiro nuclear

O B-21 Raider é um bombardeiro pesado furtivo e deverá estar pronto para entrar em operação apenas em 2027

A Força Aérea dos Estados Unidos divulgou as imagens mais detalhadas até agora do seu novo bombardeiro nuclear B-21 Raider, previsto para entrar em serviço em 2027. As imagens exibem o bombardeiro de frente e sob um ângulo oblíquo, revelando o design aerodinâmico da aeronave e suas grandes asas inclinadas para trás.

Desenvolvido pela Northrop Grumman, o B-21 Raider é um bombardeiro de longo alcance com capacidade nuclear, projetado para substituir os bombardeiros B-1B Lancer e B-2 Spirit, que estão envelhecendo na frota da Força Aérea norte-americana.

Segundo a Força Aérea, o B-21 será capaz de carregar uma variedade de armas, incluindo bombas nucleares, bombas convencionais e mísseis de cruzeiro. Além disso, o bombardeiro poderá voar a grandes velocidades e altitudes, o que dificultará sua detecção e abate.

B-21 Raider foi projetado para substituir os bombardeiros B-1B Lancer e B-2 Spirit

B-21 Raider foi projetado para substituir os bombardeiros B-1B Lancer e B-2 Spirit – Força Aérea dos EUA/Divulgação

O B-21 é o primeiro novo bombardeiro a entrar em serviço nos Estados Unidos desde a introdução do B-2 Spirit nos anos 1990. Ele representa um grande investimento para o governo norte-americano, que planeja adquirir pelo menos 100 unidades da aeronave.

Design aerodinâmico da aeronave e suas grandes asas inclinadas para trás são destaques dos B-21 Raider

Design aerodinâmico da aeronave e suas grandes asas inclinadas para trás são destaques dos B-21 Raider – Força Aérea dos EUA/Divulgação

Cada unidade B-21 Raider custa US$ 80 milhões (aproximadamente R$ 359 milhões) e o investimento é justificado pelo fato de o bombardeiro combinar longo alcance com capacidade nuclear, tornando-o apto a realizar diferentes tipos de missões.

Avião será capaz de carregar bombas nucleares, bombas convencionais e mísseis de cruzeiro

Avião será capaz de carregar bombas nucleares, bombas convencionais e mísseis de cruzeiro – Força Aérea dos EUA/Divulgação

+ Acessados

Veja Também