Fazendeiro é condenado a pagar R$ 50 mil após enganar empregado analfabeto no MT

Vítima não sabia contar notas e não tinha noção dos valores que recebia

Divulgação/MPT

Um fazendeiro foi condenado a pagar R$ 50 mil a um empregado analfabeto que trabalhou por 10 anos em sua propriedade em regime análogo a escravidão em Cáceres, no Mato Grosso.

De acordo com o Ministério Público do Trabalho, o funcionário de 60 anos não sabia diferenciar as notas e acabava não tendo noção do valor que recebia.

Técnicos do Centro de Referência de Assistência Social (Creas) constaram que o homem vivia em uma casa sem banheiro nem água encanada, e que não tinha como se locomover para fora da fazenda.

Na decisão da Primeira Turma de Julgamento do Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região (TRT-MT), o fazendeiro devem indenizar a vítima pelos anos de trabalho prestados e ainda pagar R$ 65 mil a título de danos morais coletivos a uma entidade do município.

A sentença em primeiro grau foi expedida ainda em 12 de março de 2018 pelo juiz do Trabalho José Pedro Dias, da Vara do Trabalho de Cáceres.