Exército reduz de 6 para 4 máximo de armas que policiais militares e bombeiros podem ter

Picture of R7

R7

Norma anterior sobre armas é de janeiro - Marcelo Camargo/Agência Brasil

Exército reduz de 6 para 4 máximo de armas que policiais militares e bombeiros podem ter

Portaria abrange também os servidores do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República

Compartilhe:

O Exército reduziu de seis para quatro o máximo de armas que policiais militares, bombeiros militares e servidores do GSI (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República) em atividade podem ter. Entre elas, até duas podem ser uso restrito — também menos que na previsão anterior, que autorizava até cinco. A portaria, divulgada nesta segunda-feira (20), foi encaminhada para publicação no Diário Oficial da União.

O texto anterior autorizava até seis armas e foi publicado em janeiro deste ano. A nova portaria permite a aquisição de até uma arma portátil longa (até calibre 12 ou com potência de 1.750 joules), como um fuzil. A norma ainda proibiu a aquisição de insumos para recarga de munições e equipamentos para recarga de munições, bem como matrizes (dies).

Questionado pelo R7 sobre a motivação para reduzir os limites, o Exército ainda não respondeu.

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp