EUA e UE condenam ataque terrorista à revista francesa

obama diz considerar brasil um líder mundial



Os Estados Unidos e a União Europeia conderaram o ataque terrorista à revista francesa Charlie Hebdo, na manhã desta quarta-feira em Paris. O atentado deixou 12 mortos (dez jornalistas e dois policiais) e dez pessoas feridas.

"Todos na Casa Branca se solidarizam com as famílias daqueles que foram mortos ou feridos neste ataque", declarou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest. Ele disse ainda que os EUA condenam "nos termos mais energéticos" o atentado.

Já o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, falou em "um ato intolerável". "Estou profundamente consternado com o ataque brutal e desumano contra a redação da Charlie Hebdo. É uma barbárie que questiona a todos nós como seres humanos e europeus", afirmou Juncker em um comunicado.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, reagiu com revolta à notícia e expressou solidariedade a França na luta contra o terrorismo. "Os assassinatos em Paris são revoltantes. Estamos ao lado do povo francês na luta contra o terrorismo e na defesa da liberdade de imprensa", declarou Cameron em sua conta no Twitter.