Estrutura de prédio abandonado em MT é avaliada para retomada de obra

| guiratinga | prefeitura amplia distribuição de água no distrito do alcantilado

Abandonada há três anos, a estrutura do prédio onde deveria funcionar o Centro Socioeducativo de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, passa por uma avaliação técnica e levantamento de gastos da obra. O local foi quase totalmente destruído por vândalos que arrancaram janelas e estruturas metálicas. Desde então o terreno virou abrigo para criminosos e pasto para vacas e cavalos.

Pelo levantamento da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Mato Grosso (Sejudh), foram gastos na obra mais de R$ 5 milhões de recursos estaduais e federais. Se estivesse pronta, a unidade teria capacidade para receber 60 adolescentes. O secretário da Sejudh, Márcio Frederico de Oliveira Dorilêo, não descarta a possibilidade do local não ser mais usado pelo sistema socioeducativo.

Obra abandonada foi alvo de vândalos e está parada desde 2012 em Várzea Grande. (Foto: Reprodução/TVCA)

“Identificamos que existe uma movimentação do terreno que compromete a estrutura. Além disso, o projeto daquela obra não é um projeto semelhante ao que atende às normas técnicas para abrigar menores infratores. O prédio não corresponde mais às expectativas e necessidades do sistema socioeducativo”, disse Dorilêo.

As avalições técnicas da estrutura que restou e levantamento de gastos devem apontar se houve algum tipo de irregularidade na execução da obra. O resultado dessas avaliações deve ser divulgado em até 90 dias, de acordo com o secretário. Somente então o governo vai decidir se retoma a obra para funcionamento do centro socioeducativo, se vai demolir a estrutura ou usar para outro tipo de secretaria ou serviço público.

Sejudh avalia estrutura do prédio e pretende construir novo centro socioeducativo em Várzea Grande. (Foto: Reprodução/TVCA)

“Mesmo que o prédio não seja mais usado para o sistema socioeducativo, aquele terreno ainda poderá ser utilizado para a sociedade, seja na construção de uma base de segurança ou em outro tipo de aproveitamento. Esperamos que em 12 meses já tenhamos iniciado as obras de um novo centro socioeducativo, em outro terreno que ainda não foi definido”, informou o secretário.