Estrangeiros investem US$ 5,2 bilhões no Brasil em setembro

diário oficial da união publica decreto com o novo salário mínimo de r$ 937

O Brasil recebeu em setembro US$ 5,2 bilhões em Investimentos Diretos no País, recursos destinados ao setor produtivo e que podem gerar mais riqueza para a economia. Os dados são do Banco Central e foram divulgados nesta terça-feira (25).

Segundo a instituição, o valor foi mais que suficiente para cobrir o déficit nas contas externas no período, um pequeno buraco de US$ 465 milhões. Ter um déficit, no entanto, não é problema se o País tem ingressos de dólares para cobrir esse saldo negativo.

As contas externas medem as relações comerciais e financeiras de um País com o restante do mundo. Essas contas são compostas por dois itens: transações correntes, que mostram o fluxo de bens e serviços; e transações financeiras.

Na prática, elas são um indicador que mostra se um País está menos ou mais vulnerável ao restante do mundo e quanto ele pode ser afetado por crises externas.

Como funcionam as contas externas

Quando há um déficit, como no caso do Brasil, significa que saíram mais dólares do que entraram na parte da contabilidade que registra as transações correntes. No entanto, se o País recebe investimentos estrangeiros suficiente para cobrir esse buraco, ele está equilibrado.

No acumulado do ano até setembro, a balança entre déficit e ingresso de recursos estrangeiros também é favorável. Enquanto o saldo das contas externas está negativo em US$ 13,58 bilhões, os investimentos somam US$ 46,33 bilhões.