Estações de trem francesas testam softwares que detectam gestos suspeitos

justiça condena 21 por trágico choque de trem na argentina



Diante da ameaça terrorista, as estradas de ferro francesas estão experimentando novas tecnologias para detectar comportamentos ou bagagens suspeitas, incluindo um software de análise comportamental que pode vir a ser integrado a 40.000 câmeras de vigilância.

Este software é baseado "na mudança da temperatura corporal, o aumento do tom de voz ou a gestos bruscos que possam revelar uma certa ansiedade", explicou nesta quarta-feira à AFP o secretário-geral da SNCF, Stéphane Volant.

Sua experiência está em andamento em várias estações de trem, e é realizado "em conformidade com a lei e sob a supervisão da Comissão Nacional de Informática e Liberdades (CNIL)", afirmou.

"Estamos testando para saber se isso identifica apenas as pessoas que têm uma intenção negativa, um agressor, ou também um 'intermediário'", informou, "mas também a aceitação social", isto é: a propensão dos viajantes a aceitarem tais tecnologias quando o estado de emergência, instaurado após os atentados de Paris de 13 de novembro, for levantado.

Câmeras que detectam pacotes suspeitos por ficarem muito tempo no chão também estão sendo testadas.

A SNCF avalia também a possibilidade de equipar seus agentes com câmeras portáteis para identificar as fraudes ou os comportamentos suspeitos, e no segundo trimestre de 2016 será lançado um aplicativo que permitirá aos usuários lançarem alertas a partir de seus smartphones.

Pórticos de segurança também estão sendo instalados em Lille (norte) e Paris em rotas internacionais Thalys, que ligam a França à Bélgica e à Holanda.

Estas instalações foram decididas na sequência dos atentados de 13 de novembro em Paris (130 mortos) e do ataque mal-sucedido de agosto em um trem Thalys que ia de Amsterdã a Paris.

Além disso, a legislação está sendo considerada para permitir que o pessoal de segurança da SNCF e da RATP (transportes de Paris) façam revistas de segurança ou pesquisas nas bagagens dos passageiros.