Eram policiais? Homens negam ajuda a acidentados: ‘Deixa essa desgraça morrer’

presos filmam tortura a rival dentro de penitenciária

A Corregedoria da Polícia Militar do DF investiga a o suposto desvio de conduta de agentes que teriam feito chacota de um adolescente de 13 anos, vítima de um acidente fatal na BR-020, em Formosa (GO), região do Entorno do DF, na madrugada de domingo (15).

Em um vídeo, possivelmente feito por policiais, pessoas utilizam palavras de baixo calão e desafiam o jovem que agonizava no asfalto.

Em um trecho, um homem diz:

— Você é homem, morre com dignidade.

Em outro momento, os homens debocham:

— Você não rouba, desgraça? Chora não, assume o papel de homem.

Mais adiante, outro diálogo demonstra o desprezo dos homens em relação às vítimas que estão prestes a morrer:

— Deixa essa desgraça morrer. Morre!

— Isso aí é ruim, não morre.

— Esse bicho aí não aguenta, não.

Segundo a PM, o adolescente e outros quatro menores teriam furado uma barreira policial em Planaltina (DF) e teriam sido perseguidos até Formosa (GO). O motorista do Fiat Siena, onde os adolescentes estavam, teria invadido a pista contrária e batido de frente com um Crossfox. Seis pessoas morreram, os cinco adolescentes e o motorista do veículo atingido.

Segundo a Polícia Militar, o Fiat Siena havia sido roubado no dia 5 de fevereiro em Valparaíso de Goiás (GO), no entorno do DF, e estava com placa clonada.

As famílias dos adolescentes tiveram acesso aos vídeos horas depois das mortes. A copeira Nely Ribeiro da Silva perdeu o filho e diz que existem indícios de que os vídeos foram feitos por policiais militares.

— Com as lanternas, dá para ver vulto deles, aquelas botas deles andando ao redor das crianças filmando. Dava para ver as sombras e o barulho da viatura.

A auxiliar de serviços gerais, Maria Lúcia Ferreira também perdeu o filho e diz que não conseguiu ver as imagens até o fim.

— Fiquei muito triste só de ver aquela cena. É família, né? É sangue.

Os pais dos que morreram acionaram o Ministério Público para identificar os autores do vídeo. Em nota, a PM informou que não vai comentar as imagens antes de identificar os autores das chacotas e acrescentou que no local do acidente estavam policiais do DF, de Goiás e agentes de outros órgãos de segurança.