Equipe interministerial dialoga para definir políticas de estímulo à produção de alimentos

Picture of Mapa

Mapa

Equipe interministerial dialoga para definir políticas de estímulo à produção de alimentos

Presidente Lula convocou reunião para elaborar medidas para equilibrar e reduzir preço de produtos básicos, como arroz, feijão, trigo e milho

Compartilhe:

Nesta quinta-feira (14), o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, participou de reunião interministerial convocada pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, para dialogar sobre propostas de estímulo à produção, equilíbrio e redução de preços de alimentos básicos. A expectativa é facilitar o acesso da população brasileira à alimentos como arroz, feijão, trigo e milho. 

“A preocupação do presidente Lula é a estabilidade de preço, controle inflacionário e alimento de qualidade chegando de forma acessível na mesa das pessoas”, destacou o ministro Fávaro. “O Governo Federal está preparando um arcabouço de medidas para o novo Plano Safra, para que nós possamos aumentar a produção e ter alimentos de qualidade para a população brasileira”, completou. 

Em conversa com a imprensa, o ministro Fávaro também explicou que devido as medidas de apoio à cadeia produtora, o preço para os produtores já sofreu queda, que agora os atacadistas devem repassar o reajuste para o consumidor. “Medidas de apoio ao consumidor já está acontecendo e será intensificada. Caso essas medidas estruturantes não baixarem, podemos tomar outras medidas governamentais que serão estudadas pela equipe econômica”, reforçou Fávaro. 

Também participaram do encontro os ministros da Casa Civil, Rui Costa; da Fazenda, Fernando Haddad; do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira; o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), Neri Geller, e o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Edegar Pretto. 

O ministro Paulo Teixeira evidenciou que a alta do preço dos alimentos ocorrida no final do ano de 2023 foi puxada por intemperes climáticas, como a altas temperaturas na região Centro-Oeste e o grande volume de chuvas no Sul do país. “Esse aumento ocorreu em função de questões climáticas. Foi o aumento sazonal e a tendência agora é diminuir”, pontuou. 

Na ocasião também foi reforçado o compromisso desta gestão em fomentar o trabalho da Conab e garanti o preço mínio de alimentos. O objetivo é garantir estabilidade no preço dos alimentos em todo o país.  

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp