Energisa realiza sábado especial para crianças do projeto Flor Ribeirinha

A empresa, patrocinadora oficial do projeto, proporcionará uma manhã de diversão e muitas brincadeiras.

Dia das Crianças, é dia de brincar, pular e se divertir. É também dia de tocar a viola de cocho, bater no mocho, repica o ganzá e começar a dançar o Siriri para amolecada do “Semente Ribeirinha”, projeto da Associação Cultural Flor Ribeirinha. A Energisa, patrocinadora oficial do grupo, realizará no sábado(12), das 9h às 12h, um dia especial para as 120 crianças da ação cultural.

A Energisa Mato Grosso proporcionará uma manhã de diversão com direito a pipoca,picolé, cama elástica, piscina de bolinhas, pintura no rosto, esculturas de balões, quebra cabeças, danças e muitas brincadeiras. Além das brincadeiras e comidas, colaboradores e voluntários da Energisa arrecadaram brinquedos para as crianças, que serão entregues no evento.

Segundo o diretor presidente da Energisa Mato Grosso, Riberto José Barbanera, a ação é uma iniciativa da empresa para valorizar a cultura Mato-grossense. “Quando conhecemos mais do ‘Flor Ribeirinha’ e notamos o envolvimento das crianças,surgiu essa ideia de fazer um dia especial. Esse é um trabalho maravilhoso, que vai além da dança, um projeto social que busca o resgate, manutenção e divulgação da cultura popular cuiabana”, conta.

Para o diretor artístico do Flor Ribeirinha e  coordenador de atividades “Semente Ribeirinha”, Aviner Augusto, a iniciativa da Energisa, fortalece ainda mais a associação.

“Esse apoio veio em um momento muito importante na trajetória do projeto, fortalece a participação dos instrutores que são voluntários, mas que a partir de agora recebem um apoio financeiro e auxilia na capacitação do ‘Flor Ribeirinha’. Além disso, está movimentando nosso quintal e comunidade e deixou as atividades mais sólidas. Esse apoio está mudando a realidade do projeto e todos que fazem parte dele. E para sábado as expectativas estão bastante animadas para as crianças e seus pais.”, ressalta.

Semente Ribeirinha

O projeto oferece aulas gratuitas de siriri, dança típica da cultura popular do Estado, para crianças de 02 a 12 anos da comunidade e bairros da região. Além disso, os participantes aprendem conceito sobre preservação ambiental, os motes da vida ribeirinha e artesanato por meio da cerâmica.

“Esseé o nosso projeto xodó, fundamental para a preservação da nossa cultura. Elas têm a oportunidade de desenvolvimento cognitivo, motor e afetivo. Trabalham a identidade cultural da comunidade e ainda levam as informações para a escola. Além das aulas também participam de apresentações culturais o que é muito motivador.Realizamos os encontros sempre aos sábados. E todos os semestres abrimos inscrições”, conta Aviner Augusto.

Flor Ribeirinha

Idealizada e fundada pela Mestre da Cultura Domingas Leonor da Silva, a Associação Cultural Flor Ribeirinha trabalha há mais de 26 anos no resgate, manutenção,proteção e difusão da cultura popular, sobretudo o Siriri e Cururu, bem como com outras formas de expressão da cultura regional em todo o estado.

Atualmente o projeto realiza várias atividades, o carro chefe é o “Flor Ribeirinha”, que desenvolve a divulgação popular mato-grossense por meio das apresentações; o“Sementinha Ribeirinha”, voltado ao público infantil. Já para a melhor idade, o“Flor da Idade” desenvolve atividades de dança regional, auxiliando na qualidade de vida dos idosos. E para finalizar o “Vivência para Dançarinos”, direcionado para pessoas que querem conhecer de perto o trabalho e que talvez queiram vir fazer parte do grupo.

“Além dessas ações, realizamos agora a capacitações dos integrantes do ‘Flor Ribeirinha’ para potencializar os processos artísticos do grupo, principalmente devido o apoio da Energisa. Para tanto procuramos desenvolver cada indivíduo,com aulas de técnica e preparação vocal, dança de salão, treinamento olímpico,preparação física. E ainda aberto a comunidade o ‘FIT Dance’, uma aula de dança contemporânea que ajuda na preparação física do grupo e da comunidade. Cerca de quase 400 pessoas estão envolvidas nos diversos projetos”, explica o diretor artístico do Flor Ribeirinha.