Empresários de Chapada sofrem com interdições no Portão do Inferno; Nininho cobra construção de contorno e início das obras da MT-030

Picture of Da Assessoria

Da Assessoria

Nininho pode ir para ao MDB

Empresários de Chapada sofrem com interdições no Portão do Inferno; Nininho cobra construção de contorno e início das obras da MT-030

Com interdições na MT-251 desde novembro de 2023, vendas despencam 50% em Chapada dos Guimarães; Nininho diz que empresários cobram soluções urgentes

Compartilhe:

Empresários de Chapada dos Guimarães enfrentam dificuldades com os constantes bloqueios na MT-251, na região do Portão do Inferno. Deslizamentos de terra provocam interdições frequentes, impactando negativamente o turismo e a economia do município. Para o deputado estadual Ondanir Bortolini – Nininho (PSD), soluções existem, como a construção da MT-030 ou de um contorno no Portão do Inferno, mas dependem de vontade política para serem concretizadas.

Dados da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Chapada dos Guimarães revelam que as vendas no comércio local caíram cerca de 50% desde o início das interdições na MT-251. A situação é ainda mais grave para o setor de turismo, com pousadas e agências de viagens registrando queda de até 80% nas reservas.

Nininho defende a construção da MT-030, uma nova rota alternativa que reduziria em 35 quilômetros a distância entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães, como a solução definitiva para o problema. A obra, no entanto, ainda não saiu do papel. “O projeto prevê a pavimentação a partir da Ponte de Ferro, em Cuiabá, seguindo junto ao linhão da usina do Rio do Casca até a MT-251, na altura da subestação de energia de Chapada dos Guimarães”, relata o deputado.

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) aprovou no dia 5 de janeiro a inclusão na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2024 de R$ 15 milhões para a execução do projeto de implantação e pavimentação da MT-030 e R$ 35 milhões destinados ao início da construção da rodovia, um trajeto de 30 quilômetros entre Cuiabá e Chapada dos Guimarães.

O deputado informa ainda que o senador Jayme Campos ofereceu parte dos recursos necessários para a MT-030. “Quero fazer um agradecimento ao nosso companheiro Jayme Campos, que se sensibilizou com a importância da implantação da rodovia. O senador me ligou dizendo que em 2025 podemos contar com recursos federais de R$ 50 milhões a R$ 70 milhões para essa obra. É inadmissível que uma obra tão importante, de apenas 30 quilômetros, não possa acontecer para resolver esse gargalo”, relata NIninho.

CONTORNO NO PORTÃO DO INFERNO

Outra alternativa viável sugerida por Nininho é a construção de um contorno de 500 metros através de uma depressão entre as rochas a cerca de 150 metros do Portão do Inferno. Essa solução, enquanto as obras na MT-030 não começam, permitiria a desobstrução do trecho crítico e a normalização do fluxo de veículos. No entanto, como a região do Portão do Inferno fica dentro do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, a obra depende da aprovação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama).

“Já pedi ao nosso secretário Marcelo de Oliveira, da Infraestrutura, ao governador Mauro Mendes, ao secretário da Casa Civil, Fabinho Garcia, para que uma equipe de engenharia vá até o local e analise o traçado alternativo próximo ao Portão do Inferno. Mas, até o momento, eu não recebi resposta nenhuma. Nós precisamos que um especialista diga se é possível construir essa obra. Mas nada é impossível quando se tem vontade política”, ressalta Nininho.

“A comunidade de Chapada dos Guimarães espera que o Governo do Estado tome as medidas necessárias para solucionar este problema que tanto prejudica a economia local. Precisamos dar uma solução ao caos que se instalou na cidade de Chapada dos Guimarães. É uma cobrança recebida da população, do prefeito, das lideranças políticas”, comenta o deputado Nininho.

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp