Emprega Rede leva capacitação para mais de 300 pessoas em Alto Paraguai

tribunal de contas celebra 63 anos de fundação

Mais de 300 moradores do município de Alto Paraguai (cerca de200km de Cuiabá) receberão qualificação profissional gratuitamente, por meio do programa “Emprega Rede”, que é coordenado pela Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT).

São 12 modalidades de capacitação para cursos como aplicador de revestimento cerâmico, auxiliar administrativo e de contabilidade, agente de inspeção de qualidade, costureiro, inglês, salgadeiro, além de eletricista de instalação predial.

Constam ainda na lista os cursos de costureiro, confeccionador de bolsas em tecido, montador e reparador de microcomputadores, pintor de obras e pedreiro. A carga horária das capacitações variam de 160 a 200 horas-aulas, nos períodos noturno ou vespertino.

As oportunidades estão sendo garantidas aos munícipes graças à parceria firmada entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria Adjunta de Trabalho e Emprego (SAT), com a Prefeitura Municipal e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

O titular da Setas, Valdiney de Arruda, comenta a importância de levar as qualificações para o interior do estado. “É preciso garantir que a população, além de ter as oportunidades de emprego, esteja apta e devidamente capacitada para exercer as oportunidades que surgem”, ressalta.

O secretário adjunto de Trabalho e Emprego, Samir Prado, elogia o Senai, que atua sempre de forma parceira para levar cursos à população. “Esse é um grande parceiro nosso, e que nos auxilia a garantir esse acesso para a população vulnerável”, considera.

Emprega Rede

Lançado pelo Governo do Estado em junho do ano passado, o programa garante atendimento diferenciado e aumenta o número de inserções no mercado de trabalho. Tem como público-alvo todo cidadão mato-grossense, do jovem ao idoso, em especial os que se encontram em situação de vulnerabilidade.

As principais portas de entrada do programa são os Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e os Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), que encaminham o cidadão para uma unidade do Sistema Nacional de Emprego (Sine), para atendimento de uma equipe especializada (psicólogo e assistente social).

O trabalhador também pode ser encaminhado ao Sine por meio de Delegacias de Polícia e do Programa Ação Integrada (PAI) e, assim, ter acesso a cursos de qualificação, oportunidades no mercado de trabalho e também ao programa de microcrédito.

“Todo cidadão será beneficiado, mas temos uma missão especial de atender os egressos de medidas socioeducativas, pessoas com deficiência, egressos do trabalho escravo e infantil, trabalhadores acima de 45 anos, jovens e mulheres vítimas de violência”, observa o secretário da Setas, Valdiney de Arruda.