Em junho setor da construção civil foi o 2º maior gerador de vagas de empregos no Brasil

Nesta semana, o Ministério da Economia divulgou dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em relação ao desempenho do mês de junho. A construção civil alcançou o segundo posto, entre os cinco grupos de atividade econômica analisada pelo cadastro, com 17.270 vagas, apenas atrás do agronegócio.

A região Centro Oeste contabilizou 10.010 vagas abertas na construção civil, o que para o presidente do Sindicato das Indústrias da Construção da Região Sul do Estado de Mato Grosso, Lucas Luz demonstra a força do setor, mesmo com todos os impactos da pandemia que já conhecemos.

“A construção civil não parou, nós tivemos uma pequena paralisação no início de cerca de 10 dias e logo retomamos, então mantivemos a atividade com todos os cuidados em relação a pandemia do Covid-19. Também tem a questão do investimento por conta de uma taxa Celic baixa e com perspectiva de cair ainda, o que deixa o investimento em imóveis dos mais atrativos garantindo um retorno do seu dinheiro maior do que em outras áreas”, disse.



Para refletir estes números positivos, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) realizou uma pesquisa em 30 setores industriais no mês de julho e revelou o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei). O índice de confiança da Indústria de Construção atingiu 46,3 pontos, com os 3,7 pontos acumulados em julho, registrando a terceira alta consecutiva do índice.