Douglas Brose fica com troféu Guga Kuerten de melhor atleta catarinense de 2019

Divulgação/AV Assessoria

Medalha de prata no Pan-Americano, em Lima, além de participações importantes nas etapas da Liga Mundial 2019, o carateca Douglas Brose segue colhendo os frutos da dedicação intensa ao esporte que tanto lhe proporcionou momentos inesquecíveis.

Na noite da última segunda-feira (02), em cerimônia realizada em Florianópolis, Douglas Brose recebeu uma homenagem muito especial. Pela segunda vez na carreira, o carateca venceu o Troféu Guga Kuerten como melhor atleta catarinense da temporada.

“É uma alegria muito grande que acaba se transformando numa motivação extra. O próximo ano será um dos mais especiais para o karatê com a inclusão nas Olimpíadas de Tóquio e esse tipo de premiação faz a gente ter certeza que estamos no caminho certo”, revelou o atleta, que também é terceiro-sargento do Exército Brasileiro.

Concorrendo com atletas como Matheus Dellagnelo (Vela), Felipe Werle (Patinação Artística), Leonardo André Schilling (Natação), Matheus Voight (Badminton), entre outros nomes importantes do esporte catarinense, Brose agradeceu o apoio nessa temporada intensa de competições e treinamentos.

“A rotina de um atleta de alto rendimento é muito puxada. Tenho que agradecer a minha técnica e esposa, Lucélia Brose, que me acompanha mundo afora, além dos meus apoiadores, amigos, familiares e torcedores, que me dão todo o suporte para que eu sempre esteja dando o meu melhor em todas as lutas”, revelou.

E quem acha que o mês de dezembro será de folga para Douglas Brose está enganado. Na próxima sexta-feira (06), também em Florianópolis, será realizado o Arawaza Training Camp com a participação de caratecas de todo o Brasil.

Na sequência, de 12 a 19, uma semana de treinamentos no Rio de Janeiro com os integrantes da seleção brasileira, e de 22 a 29 um seminário mais uma semana intensa de treinamentos em Brasília.

“Será um mês intenso de treinamentos pelo país, ensinando e aprendendo muitas coisas. Como eu falei anteriormente, o ritmo é alucinante, mas no final a gente olha para trás e vê que todo o esforço valeu a pena”, finalizou o bicampeão mundial.