Dos 31 casos de microcefalia em MT, 4 foram provocados pelo vírus da zika

ministério da saúde convoca o cidadão para que no novo ano o combate ao mosquito faça parte da rotina

Dos 31 casos confirmados de microcefalia (bebês com cérebro de tamanho menor do que o normal) em Mato Grosso, 4 foram provocados pelo vírus da zika, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. Os dados são referentes ao período de outubro de 2015 a de julho de 2016 e constam de boletim divulgado na quarta-feira (13) pela Secretaria de Saúde do estado. Conforme os dados, foram confirmadas ainda quatro mortes ocasionadas pela malformação.

Mais da metade dos casos confirmados é de Rondonópolis, com 18. Os bebês com microcefalia causados pelo vírus da zika são de Cuiabá (3) e Primavera do Leste, a 239 km da capital. Outros 88 casos notificados de microcefaria ainda em investigação.

As mortes provocadas pela microcefalia ocorreram em Cuiabá (2), Primavera do Leste (1) e Rondonópolis (1).

Além de Rondonópolis e Cuiabá, os casos confirmados de microcefalia estão distribuídos em Cáceres, Comodoro, Juara, Peixoto de Azevedo, São José do Povo, Sorriso, Tapurah e Várzea Grande.

São considerados com microcefalia os bebês com perímetro cefálico em recém-nascidos de 31,9 cm para meninos e 31,5 cm para meninas. O parâmetro é do Ministério da Saúde, seguindo recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Em dezembro, o parâmetro para diagnóstico da doença já havia diminuído, passando de 33 cm para 32 cm.