Dois atentados suicidas deixam quase 60 mortos na Nigéria

retórica de trump é xenofóbica, e não populista, afirma obama

Pelo menos 58 pessoas morreram em dois atentados cometidos nesta terça-feira em um acampamento de deslocados pelos ataques do grupo islamita Boko Haram na Nigéria – anunciou nesta quarta-feira à AFP o chefe do serviço de emergência do estado de Borno (nordeste), Satomi Ahmed.

Neste acampamento no nordeste do país, vivem pessoas que deixaram suas casas para trás, fugindo das ofensivas do Boko Haram.

O balanço anterior desse duplo atentado em Dikwa era de 35 mortos e 78 feridos. Dikwa fica 90 km ao oeste da capital de Borno, Maiduguri, antigo reduto desse grupo.

"Três mulheres suicidas vestidas como refugiados chegaram às 6h30 da manhã (3h30, horário de Brasília) ao acampamento de Dikwa", disse Satomi Ahmed à AFP.

"Duas delas detonaram seus explosivos. A terceira se negou a fazer isso, ao ver que havia vários familiares dela no acampamento, e se entregou às autoridades", acrescentou Ahmed.

Segundo ele, a mulher que não se detonou alertou os militares de que novos ataques estão sendo planejados na região.

Acredita-se que esses atentados tenham sido cometidos em represália ao ataque realizado pelas forças de segurança nigerianas na semana passada contra três localidades consideradas redutos do Boko Haram. Nele, morreram dezenas de militantes islamitas.

Os ataques do Boko Haram deixaram pelo menos 17.000 mortos e mais de 2,6 milhões de deslocados em quase sete anos de violência, que também afeta países vizinhos.