Dobradinha família-escola é receita da Emei Matheus Vinícius para construção de ser humano bem estruturado

Pixabay

Ensino e educação são dinâmicas da vida de uma criança desenvolvidas tanto no ambiente familiar quanto no escolar. Com base nessa premissa, a Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Matheus Vinícius adotou o lema “Escola e família: uma parceria de sucesso”. Para traduzir o que significa e como esse lema será implementado, a diretora da escola, Rosimeire Lucas, e a coordenadora pedagógica, Terezinha Ávila, se reuniram, nessas quarta (20) e quinta-feira (21), com o Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar (CDCE), formado por funcionários, professores e pais dos 170 alunos que frequentam a Matheus Vinícius.

Rotina e normas da escola, além do papel dos pais na educação da criança, foram alguns assuntos debatidos durante o encontro. Também foram apresentados e esclarecidos os documentos oficiais que embasam o trabalho realizado na Matheus Vinícius – a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEIS).

“Nosso trabalho é pautado por orientações que vêm das políticas públicas nacional, estadual e municipal. A metodologia que utilizamos defende a importância do educar e do brincar, pois, apesar de pequenas, as crianças chegam a nós com uma gama de conhecimentos e à escola cabe aprimorar as competências que elas nos apresentam e estimular suas capacidades”, observa a coordenadora.

Interação e brincadeira são os dois eixos que norteiam as práticas pedagógicas aplicadas à educação infantil, de acordo com as DCNEIS. Assim, Terezinha destaca que os direitos de aprendizagem são trabalhados por meio do lúdico, do que traz encantamento, de forma a produzir nos estudantes um sentimento de prazer por estar na escola e aprender. Ela ainda lista os seis direitos de aprendizagem, segundo a BNCC: conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se.

Contente com o progresso do filho Luiz Gustavo, de cinco anos, que estudou na Matheus Vinícius em 2018, Paula Fernanda Batista de Oliveira resolveu mantê-lo na Emei também este ano. Ela relata a experiência: “Desde que começou a frequentar a escola, a interação e o vocabulário do Luiz Gustavo aumentaram bastante e ele passou a conversar cada vez mais com a gente e mais atenção e presença. Sua coordenação motora também se desenvolveu significativamente”.

Levando a sério o lema da Matheus Vinícius, Paula diz que faz questão de manter relacionamento bem próximo com diretora e com a professora do filho, além de participar das atividades que ocorrem no colégio: “Gosto de ir às reuniões para ficar por dentro do que está acontecendo. E, todo dia, converso com a professora para saber como foi o desempenho do Luiz Gustavo e também pergunto a ele sobre as atividades propostas”. A mãe prossegue: “Ele sempre mostra-se entusiasmado e conta como se divertiu com os amiguinhos, lembrando brincadeiras com massinhas, pinturas, carrinho e super-heróis”.

Ao somarem forças, escola e família constroem um ser humano bem estruturado, conscientes de que estão formando um cidadão para o futuro, como assinala Terezinha: “A criança é um sujeito histórico, que questiona, brinca, imagina e tem direitos e que estabelece relações com o mundo nas práticas do cotidiano. Então, se lhe proporcionarmos uma base educacional bem feita, ela vai crescer com sua autonomia fortalecida, como alguém pensante, que sabe tomar iniciativas e se posicionar diante das situações que a vida lhe apresenta”.