Diamante de cinzas: Como preservar a memória de um animal de estimação querido

Diamantes memorial são criados a partir de cinzas e pêlos de animais de estimação


Animais de estimação são muito presentes em lares brasileiros: um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que, em 2018, havia 139,3 milhões de bichos domésticos no país.

Os cães são os mais populares entre nacionais, seguidos pelas aves e depois pelos gatos – são, respectivamente, 54,2 milhões, 39,8 milhões e 23,9 milhões desses animais. Os peixes também são altamente populares, estimados em 19,1 milhões de espécimes. Menos numerosos, mas ainda assim não desprezíveis, são os répteis, anfíbios e pequenos mamíferos: juntos, somam 2,3 milhões de bichos.

Também em 2018, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) do IBGE encontrado que há 35,5 milhões de crianças (de zero até 12 anos) no país. Isso significa que os animais de estimação superam em muito os de crianças nos lares brasileiros. De fato, animais de estimação já são tratados como membros da família por muitos de nós.

Infelizmente, a maioria dos animais estimação perece antes de qualquer ser humano saudável. Os ciclos da Natureza divergem entre espécies e essa é uma dura realidade, que é preciso aceitar.

Após a morte de um animal de estimação, a dor permanece. No entanto, os enlutados podem optar por comemorar a vida do animal de estimação por toda a eternidade, com a ajuda de um diamante de cinzas. Mas o que é um diamante de cinzas?

Bem, antes de entendermos essa forma de homenagem cada vez mais popular, precisamos passar por uma etapa fundamental – a superação do luto.

Como superar a perda de um animal de estimação querido

Não existe nenhuma fórmula científica ou mágica para luto a morte de seu amado animal de estimação. A experiência é completamente individual.

No entanto, alguns passos podem ajudar a seguir adiante nesse momento difícil. A primeira coisa a se fazer deve ser dedicar algum tempo processando seus sentimentos.

Muitas pessoas sentem que é intolerável ou que não têm tempo para ficarem tristes e acabam “engolindo o choro”. Dedicar algum tempo a relembrar o animal de estimação pode trazer bons momentos à tona e ajudar a se familiarizar com a nova realidade – vagarosamente.

Depois de algum tempo processando as emoções, a pessoa em luto passa a ter a capacidade de refletir. Significa pensar sobre as vivências, os aprendizados e mudanças trazidas pela vivendo com um animal de estimação. Em todo caso, é aqui que a dor passa a se transformar em sentimento de gratidão permanente.

Vale lembrar que o apoio de amigos e familiares é imprescindível ao luto a morte de um animal de estimação amado. Técnicas de meditação, respiração e aquietação da mente também são bem-vindos nesse momento de instabilidade. O pior que se pode fazer é romper com as atividades da rotina e se entregar à tristeza.

Por fim, há o ritual do memorial. A cultura e as mídias contemporâneas uniformizam as experiências, deixando de lado particularidades religiosas e outros rituais tradicionais. Mas criar um memorial para um ente querido (no caso, um animal de estimação) é um ritual que ainda surte efeito psicológico enorme, além de expressar respeito.

Nesse contexto, há várias possibilidades. Alguns cemitérios oferecem serviços funerários para animal de estimação. Outras pessoas preferem cremá-los e preservar a urna em casa. Mais recentemente, a interessante possibilidade de fazer um diamante de cinzas está ganhando popularidade.

Transforme pelos e cinzas de um animal de estimação em diamantes no Brasil

Criar um diamante de cinzas com os restos mortais do seu animal de estimação é cientificamente possível porque o elemento de carbono representa de 18% a 25% do corpo do animal. Os diamantes são basicamente carbono que foi cristalizado.

O processo para ter um diamante de cinzas começa com a cremação. Certifique-se que o crematório oferece um serviço de cremação individual para animais de estimação, já que só assim é possível saber se as cinzas são realmente de seu amado companheiro.

As empresas que se especializam em diamantes de cinzas usam equipamentos sofisticados e modernos que irão verificar se o pelo do animal de estimação ou suas cinzas contêm carbono suficiente para criar um diamante de cinzas. Aproximadamente 200g de cinzas ou 10g de pelo são necessários e o conteúdo de carbono das cinzas varia em cada caso.

As cinzas do animal de estimação são postas em um cadinho especializado e aquecidas para fazer todos os elementos oxidarem, menos o carbono. A temperatura é então aumentada para o carbono tornar-se grafite.

A etapa final acontece em uma prensa capaz de criar tensão extrema. Durante essa etapa, quando a prensa está acionada, a temperatura chega a 1300 graus Celsius, fazendo o diamante de cinzas ficar sólido.

O passo final requer o polimento do diamante de cinzas por especialistas no assunto. Isso é necessário porque o diamante bruto pode ter grafite e outros materiais misturados na superfície.

O processo de criação de um diamante de cinzas leva de 3 a 9 meses, dependendo das características desse diamante, como cor, corte e tamanho.

Outras alternativas disponíveis para honrar a vida do seu animal de estimação, além do diamante de cinzas

Além do diamante de cinzas, há outras maneiras relevantes de honrar a memória de seu amado animal de estimação. O simbolismo é um traço presente na maior parte dessas homenagens, como no caso das tatuagens.

Uma tatuagem é uma das formas mais pessoais de prestar tributo a alguém, pois consiste em gravar na própria pele o retrato ou um aspecto daquele alguém. As tatuagens com patinhas de cachorro são um dos modelos mais comuns de rememorar cães. Por outro lado, também há pessoas que preferem tatuar os rostos ou mesmo os animais inteiros em certas partes do corpo. Tamanho e forma variam bastante conforme a preferência.

A criação de um álbum de fotos do animal de estimação também é um tipo de homenagem póstuma interessante. Com a atual facilidade de registro e organização digital das fotografias, os álbuns requerem menos esforço e custo para serem compostos e podem incluir vídeos. No entanto, o formato tradicional, com páginas de papel decorado é uma opção customizável também sempre interessante de folhear de tempos em tempos.

Encomendar uma pintura ao artista preferido também se enquadra nessa categoria de memória de animal de estimação. Esse tipo de celebração pode abranger desde os retratos mais realistas até as representações mais livres. Enquanto algumas pessoas optam por reproduções de fotografias do animal de estimação, outras preferem reimaginar momentos preciosos, registrados apenas na memória.

Também há pessoas que cremam o animal de estimação e dão diferentes destinos às cinzas. O simbolismo está no destino das cinzas. Manter a urna em casa é uma maneira de sempre relembrar um animal de estimação querido: na passagem por um ambiente doméstico, a pessoa avista a urna e rememora momentos especiais.

Por outro lado, há quem prefira espalhar as cinzas do animal de estimação na Natureza ou usá-las para fertilizar plantas ou bonsais. Nesses casos, a vantagem percebida é que o animal de estimação finado permita que novas vidas nasçam e cresçam, perpetuando o ciclo vital. No fundo, é uma espécie de continuidade poética encontrada para uma vida interrompida.

Por fim, a doação a uma organização de apoio a animais também é um tributo respeitável: patrocinar uma causa que se acredita demanda esforço ou custo, dedicados a uma pessoa ou entidade responsável em respeito ao animal de estimação que se foi.

Conclusão

Atualmente, um animal de estimação é como um membro da família em muitas casas. Por isso, relembrar esses entes queridos é uma forma de superar a passagem deles, dando-lhes a devida importância. Mais do que isso, é uma prática sensível de eternizar a personalidade e o significado do falecido num gesto maior de respeito. Essa demonstração traz mais sentido às vidas que se foram e às que ficam.