Diagnóstico precoce evita sequelas da Hanseníase

Diagnóstico precoce evita sequelas da Hanseníase

Perdendo apenas para a Índia, o Brasil é segundo país no mundo em casos de hanseníase. Nos últimos 10 anos foram registrados 312 mil casos, uma média de 30 mil novos casos por ano. Os dados são da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Os principais sintomas são manchas avermelhadas ou esbranquiçadas na pele com perda de sensibilidade no local e formigamento dos membros.

No Janeiro Roxo, mês dedicado ao combate e à conscientização sobre a doença, o médico dermatologista do Sistema Hapvida e membro da SBD, Diogo Pazzini Bomfim, destaca a importância do diagnóstico precoce da doença. A transmissão da doença é feita por via respiratória e na maioria das vezes devido à proximidade acomete pessoas da mesma família.

Por outro lado, apesar de ser uma doença endêmica, a maioria das pessoas é resistente ao bacilo de Hansen, bactéria causadora da hanseníase. Ele explica que é preciso consultar um médico para um diagnóstico completo e informações sobre o tratamento correto. “É fundamental o tratamento precoce, pois a doença pode levar sequelas incapacitantes”, explicou o médico.

Entre as principais sequelas estão a perda da força dos músculos, causando dificuldades físicas para atividades manuais ou se locomover. Em casos mais brandos, a sensibilidade da pele pode não voltar a ser a mesma de antes da doença. O médico reforça que o tratamento da doença é simples, feito por medicação via oral, e a transmissão da doença para automaticamente após o paciente tomar a primeira dose do remédio. Porém, é preciso seguir o tratamento completo, que leva de seis meses a um ano.

Diogo chamou a atenção também para o preconceito em relação à hanseníase, infecção que já foi muito comum em quase todo o mundo. “Ao longo da história houve muito preconceito e hoje a gente sabe que não tem o menor sentido”, finalizou o médico.

Sobre o Sistema Hapvida

Com mais de 7,4 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do RN Saúde, Medical, Grupo São José Saúde, Grupo Promed, Premium Saúde, além da operadora Hapvida e da Healthtech Maida. Atua com mais de 38 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 49 hospitais, 203 clínicas médicas, 49 prontos atendimentos, 176 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

Noticias Relacionadas