Dia Livre de Imposto é considerado sucesso e deve ser repetido no ano que vem em Rondonópolis

DLI é considerado sucesso e deve ser repetido no ano que vem

O Dia Livre de Imposto – DLI – é considerado sucesso pela CDL Jovem de Rondonópolis. A avaliação é da coordenadora do evento em Mato Grosso, Thaís Fagotti. Na cidade, 39 lojas aderiram à campanha realizada em todo o país em protesto a alta carga tributária cobrada pelo Governo e também para conscientizar a população de quanto paga em impostos sem receber serviços de qualidade como retorno.

Na cidade, várias empresas de diversos segmentos aderiram a campanha de conscientização, como de materiais de construção, farmácias, supermercado, lojas de confecções, indústria de uniformes, ótica e relojoaria, papelaria, barbearia, serviços mecânicos, chopp, comida, entre outros. A redução nos preços de produtos e serviços variou entre 11% e 51%. A campanha foi de livre adesão e os lojistas escolhiam os produtos nas lojas que seriam vendidos livre de impostos.

Pelo levantamento feito pela CDL Jovem em todo o país, o brasileiro trabalha em média 153 dias no ano somente para pagar impostos, daí hoje ser comemorado o DLI, 30 de maio, último dia de trabalho para quitar o governo.

Este é o segundo ano em que o DLI acontece em Rondonópolis, em 2017 foi realizada a venda de etanol sem imposto e neste ano, vários segmentos venderam produtos, nas etiquetas das lojas estavam o preço cheio, a quantia de imposto pago e valor a ser vendido sem a carga tributária. Thaís disse que já está em negociação com empresas que pretender aderir à campanha no ano que vem.

“É um dia de conscientização para a população passe a prestar atenção da carga tributária e reivindique melhores serviços dos poderes públicos, mais saúde, mais investimento em educação, em infraestrutura, por exemplo”, ressaltou Thaís.

O presidente da CDL de Rondonópolis, Thiago Sperança, destaca que a ação nacional como massificação da informação é uma forma de protesto com base em informação para que a pessoa entenda que o imposto que paga está embutido nos produtos e quanto paga de tributos em tudo o que compra.

Manoel Vieira comprou cimento com redução de 15% de imposto. O produto será usado para arrumar o banheiro da sua casa. “É pouco, mas economizando um real aqui outro ali, faz diferença. Gostei da iniciativa”.

O empresário Neles Walter Ferreira de Farias que participou do protesto lembrou que o Governo é o sócio majoritário que não trabalha e que leva parte do dinheiro do consumidor e do empresário, leva esses recursos em não entrega nem mesmo saúde e educação de qualidade. “Não é dia de promoção, é dia de levar informação a todos para que pensem a respeito de quanto pagam ao governo”.