Dia das Mães também é momento para reflexão

Com dupla jornada, mães tem desgastes físicos e mentais

Além dos presentes e dos carinhos, todos deveriam aproveitar o Dia das Mães para refletir sobre a dupla jornada feminina, que teve uma sobrecarga ainda maior com a pandemia. De acordo com a ONU Mulheres, as brasileiras que exerciam atividades econômicas realizaram atividades domésticas, em média, 8 horas semanais a mais que os homens.

“São as mulheres que acabam se sobrecarregando de responsabilidades e atividades, chegando muitas vezes à exaustão, seja por se cobrar excessivamente para serem supermães ou tentarem a atender expectativas da sociedade”. A explicação é da psicóloga do Sistema Hapvida, Ivana Teles.

A psicóloga alerta que é preciso entender que a mãe é uma pessoa e não uma máquina. “É importante não entrar em sobrecarga, afinal de contas mãe não é máquina, mãe é ser humano e que precisa receber, sim, cuidado apoio e suporte”, completou.




Além do aspecto físico a jornada de trabalho fora e dentro de casa pode esgotar mentalmente as mulheres. Entre as causas disso estão o trabalho invisível e não remunerado, falta de reconhecimento, ter que organizar as rotinas e cuidar de todos que moram em casa.

Outro detalhe lembrado é que as atividades domésticas devem ser equilibradas pelos adultos que moram juntos. “É interessante a mãe cuidar de si, lembrar que tem os seus próprios limites, assim como construir responsabilidades para o seu dia a dia de uma forma real”, completa, recomendando que todos que estão perto devem acolher e ouvir as mães para diminuir a alta demanda.