Destroços de foguete chinês cairão no sábado na Terra; impacto pode ocorrer sobre território dos EUA

Foguete 'Long March 5B' decolou da ilha de Hainan, no sul da China, em 29 de abril, para colocar em órbita o primeiro módulo da Estação Espacial Chinesa Tiangong.

Marcello Casal Jr./Agência Brasil/Ilustrativa

Destroços do foguete chinês “Long March 5B” devem cair no oceano em território dos Estados Unidos, informou nesta quarta-feira (5) o jornal China Global Times. Os detritos que voltarão à Terra fazem parte do primeiro estágio do foguete, que possui cerca de 30 metros de comprimento, 5 metros de largura e 187 toneladas.

O Long March 5B decolou da ilha de Hainan, no sul da China, em 29 de abril para colocar em órbita o primeiro módulo da Estação Espacial Chinesa Tiangong, que se tornará o alojamento de três tripulantes.

De acordo com o site de geolocalização espacial americano Aerospace, os destroços têm chance de chegar à Terra em 8 de maio, às 23h34, caindo no oeste Estados Unidos. O ponto exato da queda dos destroços, entretanto, ainda é incerto.




Segundo Wang Yanan, editor-chefe da revista espacial Aerospace Knowledge, os destroços não irão interferir em atividades humanas.

“A maior parte dos destroços queimará durante a reentrada, deixando apenas uma pequena porção que pode cair no chão, e provavelmente pousará em áreas longe de atividades humanas ou no oceano”, disse Yanan ao China’s Global Times, jornal pertencente ao grupo oficial do Partido Comunista da China.

A publicação também afirmou que a rede de monitoramento espacial da China está observando cuidadosamente a área da trajetória do foguete e tomará medidas para evitar danos aos navios que passam pela região.

O Departamento de Defesa dos EUA disse à agência de notícias Reuters que “todos os destroços podem ser ameaças em potencial“ e que o 18° Esquadrão de Controle Espacial da Califórnia ofereceria informações diárias sobre a localização do foguete.

Entenda o caso

O Long March 5B foi lançado para colocar em órbita o primeiro módulo da estação espacial chinesa, que está programada para ser finalizada em 2022.

O foguete usado no lançamento tem dois estágios, o equivalente a duas partes que são usadas em diferentes momentos do voo. O primeiro estágio, mais robusto, foi desenhado para aguentar o atrito com a atmosfera na saída da Terra. Já o segundo estágio é mais leve e opera em altas atitudes.

Após cumprir a sua missão, o primeiro estágio se desprende o foguete. No caso do Long March 5B, a peça foi descartada em uma órbita elíptica ao redor da Terra.

O bloco do primeiro estágio se aproxima cada vez mais do planeta ao passar em sua trajetória mais baixa da órbita, até o momento que o objeto deve fazer a sua reentrada na atmosfera.