Deputado Oscar defende CPI do VLT e ressalta atuação de Luciane ao denunciar modal

levy: ajuste do câmbio é necessário

O deputado estadual Oscar Bezerra (PSB) utilizou a tribuna na sessão vespertina desta quarta-feira (4), para defender a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá investigar todas as obras de mobilidade urbana da Copa do Mundo, em especial o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). O parlamentar ressaltou a atuação da ex-deputada Luciane Bezerra (PSB), que na legislatura passada tentou instaurar a CPI, mas não obteve as assinaturas necessárias.

“Por Justiça temos que fazer uma colocação importantíssima de que a deputada Luciane Bezerra sempre denunciou as irregularidades das obras da Copa e em especial do VLT, sobre os procedimentos errados e tentou sim colher assinatura para fazer uma investigação naquele momento. Então na gestão passada é que não teve as assinaturas no requerimento”, pontuou Oscar.

A CPI das obras da Copa foi apresentada em conjunto pelas lideranças partidárias, aprovada na sessão de ontem e terá um prazo de 120 dias, prorrogáveis por mais 60 para a conclusão dos trabalhos. O deputado explica que nada impede que outras obras sejam investigadas no decorrer da CPI.

“É de conhecimento público que muitas obras tiveram graves erros de execução, como o viaduto da UFMT e o da Sefaz, mas isso não descarta que também investigamos obras como a trincheira do bairro Santa Rosa e os Centros Oficiais de Treinamento (COT), que até agora não foram entregues à população”, observou.

Conforme o parlamentar, a CPI cumprirá com o seu papel de investigação para descobrir se houve desvio de recursos ou não, na implantação do modal sobre trilhos, tendo em vista que mais de R$1 bilhão foram consumidos na obra.

“O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) esteve aqui na Assembleia Legislativa fazendo um discurso para nós deputados, como se nada houvesse de irregular na condução do processo das obras da Copa”, criticou.

Sobre o plebiscito sugerido para que a população de Cuiabá e Várzea Grande, opine sobre a permanência do VLT ou mudança para o Bus Rapid Transit (BRT), Oscar Bezerra se posicionou contrário.

“Esta consulta à população já deveria ter sido feita na gestão passada, agora não cabe colocar esta responsabilidade nos ombros da sociedade. Temos que concluir o VLT que já consumiu mais de R$1 bilhão de recursos e estudar tecnicamente qual seria a viabilidade deste sistema funcionar sem ter ônus para o governo e para o povo, no caso da tarifa ser cara também”, destacou.

O deputado também garantiu que uma resposta será dada à sociedade sobre o escândalo que abalou o Estado de Mato Grosso.