Deputado Dr. João destina R$ 100 mil em emenda para a Orquestra da UFMT

Orquestra completou 40 anos em 2019 e tem atuado para popularizar a música erudita.

Precursor no transplante de rim, deputado realizará audiência na AL sobre doação de órgãos
Fablicio Rodrigues/ALMT

O deputado estadual Doutor João (MDB) anunciou que irá destinar R$ 100 mil para a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que completou 40 anos em 2019. A orquestra tem como marca atuar para popularizar a música erudita. A emenda irá estimular a ampliação do acesso à cultura clássica levando as apresentações para as cidades do interior.

Segundo explicou o deputado, a emenda será destinada à orquestra por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), sob o comando do secretário Allan Kardec. No total, o emedebista irá liberar para a secretaria mais de R$ 400 mil em emendas, sendo o valor de R$ 100 mil destinado para o fomento do trabalho da orquestra sinfônica.

Fundada e estruturada em idos de 1979 pelos professores e ex-dirigentes da UFMT, Gabriel Novis Neves e Benedito Dorileo, a orquestra hoje tem como regente o maestro Fabrício Carvalho, que se encontra há 22 anos à frente da sinfônica.

“A gente fica muito sensibilizado em relação à importância da cultura em nosso estado. Sou português de nascimento, mas acima de tudo sou cuiabano e tangaraense de coração. Ao longo dos anos, tenho visto o trabalho excepcional que a orquestra faz, especialmente na capital, mas sempre buscando ampliar o acesso do público. Por isso, eu gostaria de destinar essa emenda para que mais cidades do interior também possam ter a chance de ver de perto os concertos dessa orquestra fantástica”, afirmou o deputado Doutor João, que participou da sessão solene promovida pela deputada Janaina Riva (MDB), em homenagem aos 40 anos da orquestra.

A deputada destacou a importância do trabalho da orquestra para disseminação da cultura musical erudita para a população. “A orquestra é imensurável. Não consigo medir sua importância, ou seu valor. Porque o que ela faz – a música! – supera expectativas, surpreende, abarca, acolhe, ensina, aprende, congrega. É com este olhar que não consegue medir o valor da arte e da beleza, que penso que a orquestra ultrapassa os valores musicais e se torna, literalmente, um instrumento democrático que promove a cultura, a pertinência e a cidadania”, disse a deputada, que também irá destinar emenda para a Orquestra da UFMT.