Cubanos são resgatados de ilha deserta após 33 dias comendo cocos e ratos

Guarda-costeira norte-americana resgatou 2 homens e 1 mulher, que foram encaminhados a um hospital da Flórida

Foto: Reprodução/Guarda Costeira dos EUA

Três cubanos foram resgatados pela guarda-costeira dos Estados Unidos nesta terça-feira (9) em Cayo de Anguilla, uma pequena ilha deserta nas Bahamas. Eles ficaram naufragados por 33 dias e sobreviveram com com alimentação restrita a comer o fruto e a água de cocos, mariscos e ratos.

As vítima do ocorrido, dois homens e uma mulher, foram avistados pedindo ajuda na segunda-feira (8) por uma patrulha aéres de rotina, segundo as autoridades americanas em um comunicado.

“O (piloto) notou algumas bandeiras incomuns lá embaixo, algumas cores diferentes. Eles voltaram para verificar e notaram três pessoas sinalizando para eles”, disse o tenente Justin Dougherty ao canal de TV WPLG.




Os agentes arremessaram água, comida e um rádio para a comunicação com os náufragos, mas o resgate só aconteceu no dia seguinte, por conta das más condições do tempo. O trio, que sobreviveu por mais de um mês em um abrigo improvisado com lonas, “parecia saudável”, diz o tenente.

Os cubanos foram encaminhados para um hospital da Flórida, e não apresentavam ferimentos graves.

Naufrágio

Os cidadãos cubanos estavam em um barco que teria virado e afundado em águas turbulentas, e tiveram que nadar até a ilha.