Conselho Superior do Agronegócio aposta que meta dos 10% será atingida em menos de 5 anos

Conselho Superior do Agronegócio aposta que meta dos 10% será atingida em menos de 5 anos

Em reunião comemorativa aos 10 anos do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag), nesta segunda-feira (06), na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em São Paulo, o ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, afirmou “detestar enrolação” e que o Agro+ veio justamente para agilizar os processos na agricultura brasileira. Ele garantiu ainda, "que o Brasil não precisa invadir a Amazônia para produzir mais”.

O presidente do Consag, Jacyr da Costa, destacou o trabalho desenvolvido pelo ministro ao longo dos últimos nove meses, especialmente nas missões ao exterior, que têm como meta aumentar de 6,9% para 10% a participação do Brasil no mercado internacional. "Se continuar nesse ritmo o Brasil vai conseguir atingir os 10% do comércio mundial antes do prazo de cinco anos", declarou.

Maggi lembrou ainda a necessidade de ampliar o mercado internacional. "Existem cerca de 600 negociações com outros países em andamento, mas estão paradas por várias questões como burocracia, problemas fitossanitarios, e outros. Precisamos desburocratizar e identificar alguns setores em condições de crescimento. O comércio de pescado, por exemplo, é o maior do mundo, mas o Brasil não participa mesmo com seu grande potencial”, explicou.

Participaram do encontro, na sede da Federação da Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) , os membros do Consag, o senador de Mato Grosso, Cidinho Santos, equipe técnica do Mapa e representantes do setor.

O Consag é órgão técnico estratégico da Fiesp, coordenado pelo Instituto Roberto Simonsen (IRS), e tem como objetivo debater, realizar estudos e propor políticas na área do agronegócio, promovendo interação das entidades do setor.

O ministro cumpre agenda em São Paulo e, após a reunião do Consag, irá reunir-se, às 16h, no Palácio dos Bandeirantes, com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e com o ministro das Relações Exteriores, José Serra.

Noticias Relacionadas