Comunidade lança 8º Bazar Divina Providência

| guiratinga | prefeitura amplia distribuição de água no distrito do alcantilado

A Comunidade Divina Providência lançou na quinta-feira (10.09) a oitava edição consecutiva do Bazar da Divina Providência. A partir de agora toda população pode contribuir com as doações de produtos como roupas, calçados, móveis, eletrodomésticos, entre outros, que estarão disponíveis para venda no dia 12 de dezembro.

O recurso arrecadado é todo revertido para a manutenção da Comunidade Terapêutica Divina Providência. Em 2014, o evento reuniu cerca de quatro mil pessoas e arrecadou R$ 80 mil. A Comunidade Terapêutica existe há três anos e atende homens acima de 18 anos que buscam ajuda para se livrar do vício por álcool e drogas.

Desde a fundação, 245 homens passaram pela reabilitação, sendo que 38 concluíram todo o tratamento. De acordo com o presidente da Comunidade Terapêutica, Marco Túlio Duarte Soares, a entidade custeia 100% do tratamento para casos em que a família não tem condições financeiras, e outros casos uma parte também é custeada, sendo que o valor máximo da mensalidade é de R$ 800 mil, quando o custo por interno é de R$ 1.300.

“Hoje 28 internos são atendidos pela Comunidade. O primeiro passo é a pessoa querer passar pelo tratamento que é terapêutico ocupacional. Eles têm atividades durante todo o dia como na piscicultura, hidroponia, fruticultura, suinocultura, além das tarefas do dia-a-dia como lavar, cozinhar. Tudo eles mesmos que fazem, além do trabalho espiritual que também é parte do tratamento”, explica Marco Túlio.

A equipe conta com nove funcionários (1 secretária, 1 psicóloga, 1 assistente social, 1 coordenador e 5 monitores) e tem hoje um custo mensal de R$ 36 mil. Como não há investimento do poder público, a manutenção da Comunidade é feita exclusivamente pela comunidade, com a realização do Bazar e da Festa das Nações – que no ano passado arrecadou com a ajuda da sociedade R$ 310 mil.

A coordenadora do Bazar, Mirella Soares, afirma que as doações já podem ser entregues na sede da Comunidade, que fica ao lado da Capela Nossa Aparecida, na Vila Birigui, e também nas casas de carne Celeiro. “Temos também uma equipe que faz a busca dos produtos para quem não puder se deslocar. Os telefones estão disponíveis para que todos tenham a oportunidade de participar desse momento”. Ela lembra que no dia do Bazar toda sociedade pode participar, no entanto, o foco são pessoas de baixa renda que se beneficiam com os produtos de boa qualidade e preço baixo.

“Há depoimentos emocionantes como mães que fizeram o enxoval, pessoas que sonham em ter um sofá ou uma televisão e esperam pelo Bazar para conseguir adquirir por um preço mais acessível”, afirma Mirella.