Comitê gestor do Selo Mais Integridade se reúne nesta quinta para definir premiação

Ao todo, 25 empresas e cooperativas querem ganhar atestado de que promovem ações de sustentabilidade, responsabilidade social e prevenção à corrupção

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) vai promover nesta quinta-feira (17) a primeira reunião do ano do comitê gestor do Selo Mais Integridade. O comitê tem dez integrantes, sendo três de governo – Mapa, CGU e Embrapa – e sete do setor privado – CNA, Febraban, CNI, OCB, Aliance for Integrity, Ethos e B3.

Cabe aos integrantes analisar os relatórios apresentados pelas empresas e cooperativas inscritas no edital 2019/2020 da premiação do Selo Mais Integridade, destinado às empresas e cooperativas do agronegócio que promovem ações de sustentabilidade, responsabilidade social e prevenção à corrupção.

A ministra Tereza Cristina vai participar da abertura da reunião, às 9h30. No processo seletivo deste ano, 25 empresas concluíram a inscrição e apresentaram material completo das três áreas de avaliação: anticorrupção, responsabilidade social e sustentabilidade, com foco ambiental. Destas 25, 11 foram premiadas ano passado e pediram a renovação e 14 entregaram toda a documentação exigida pelo comitê gestor. Caso atinjam os critérios previstos no regulamento, todas poderão ser premiadas.

A iniciativa do Ministério em reconhecer empresas e cooperativas que adotem práticas concorrenciais éticas, de responsabilidade social e sustentabilidade se insere no âmbito do Programa de Fomento à Integridade, da Controladoria Geral da União (CGU). O Mapa foi o pioneiro entre os ministérios do setor produtivo na adoção deste tipo de incentivo.

O edital deste ano exigiu certidão de regularidade fiscal das empresas já premiadas na edição anterior e certidão negativa de multas ambientais, além de requisitos mais detalhados da área de anticorrupção. A documentação foi inicialmente analisada pela equipe técnica da Secretaria-Executiva do Comitê Gestor do Selo. Agora, será submetida aos membros do comitê em uma data especial: 17 de outubro, Dia da Agricultura. A premiação das empresas deverá ocorrer na segunda quinzena de novembro.

“Estamos dando continuidade às ações de fomento à integridade para as empresas e cooperativas do agronegócio. Isso demonstra a preocupação do Ministério com a pauta anticorrupção e ambiental”, disse Cláudio Torquato, chefe da Assessoria Especial de Controle Interno do Mapa.

A equipe técnica do Selo está trabalhando para aprimorar os requisitos do edital para o próximo ano, a fim de atrair uma maior participação das cooperativas no processo de premiação, e ainda está levantando informações sobre os impactos do uso do Selo sobre a imagem e o trabalho das empresas que já foram premiadas.

O Selo tem por objetivo reconhecer as iniciativas do mercado nacional que promovam relacionamento íntegro e ético entre si e com o setor público; e mitigar riscos de ocorrência de fraudes e corrupção nas relações entre os setores público e privado ligado ao agronegócio.

As 11 empresas premiadas ano passado com o Selo de Integridade foram: Produquímica Indústria e Comércio (SP), Adama Brasil (PR), Adecoagro Vale do Ivinhema (MT), Baldoni Produtos Naturais Comércio Indústria (SP), Rivelli Alimentos (MG), Indústria e Comércio de Alimentos Supremo (MG), Iharabras Indústrias Químicas (SP), Bunge Alimentos (SC), Rio Branco Alimentos S.A  (Pif Paf Alimentos – MG), Tropfrutas dos Brasil  (Leão Bebidas – SP), Old Friends Agropecuária (RS).