Comerciantes e produtores rurais devem ficar atentos à validade dos medidores de umidade de grãos

Medida faz parte da Portaria nº 104 do Inmetro e o procedimento de aferição, que é realizado no laboratório do Ipem, em Cuiabá, custa R$ 402,00

Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT

Os comerciantes que utilizam medidores de umidade de grãos devem se atentar ao prazo de validade dos aparelhos. Caso contrário, poderão ser notificados pelo Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (Ipem – MT).

A medida faz parte da Portaria nº 104 do Inmetro e o procedimento de aferição, que é realizado no laboratório do Ipem, em Cuiabá, custa R$ 402,00.

“Estes medidores são importantes para a comercialização de grãos, pois medem o teor de água. Então, quando é feita a operação, dá mais confiabilidade para o consumidor”, explica o presidente do Ipem – MT, Bento Bezerra.




“É importante que todos façam o ensaio de calibração, para ter a certeza de que estão informando a umidade correta”, completa Bezerra.

Os medidores fabricados nos anos de 2003, 2004 e 2007 necessitam de fiscalizações imediatas ou serão retirados do mercado. Além disso, é importante que haja o selo do Inmetro no produto.

Os medidores fabricados entre os 01/01/2008 e 31/12/2011 podem estar no mercado até final do ano, enquanto que os de 01/01/2012 e 31/12/2014 estarão vencidos em 2024.

“Já foi feito um acordo entre o Ipem a Associação dos Produtores e Soja de Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja) para segurar a fiscalização até junho, por isso, agora cabe os comerciantes fazerem sua parte”, finaliza o presidnete do Ipem – MT.