Começa Semana Estadual de Conscientização de Doação de Medula Óssea

ambulâncias compradas com recursos da al serão distribuídas a todos os municípios de mt



Começou hoje (23), na Assembleia Legislativa, o cadastramento de doadores de medula óssea. A campanha para novos cadastros faz parte da Semana Estadual de Conscientização da Importância da Doação de Medula Óssea. O evento atende àLei estadual nº 9.807/12, de autoria do deputado estadual Ondanir Bortolini (PSD), Nininho, e busca conscientizar e esclarecer a população sobre os procedimentos e as etapas realizadas para se tornar um doador.

Durante toda essa segunda-feira, uma equipe do Hemocentro Cuiabá estará atendendo no auditório Licinio Monteiro para coletar material dos voluntários.

“Essa iniciativa é um gesto com o propósito de salvar vidas. Por meio dessa campanha, serão divulgadas todas as informações aos interessados, que, ao doar, fazem parte de um cadastro para o mundo todo”, afirmou o deputado.

A abertura contou com a participação da cantora Ana Rafaela e com os depoimentos de pessoas que já participaram como doadores e que fizeram o transplante da medula óssea.

“Tive o privilégio de doar a medula para o Redome (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea). Para mim, isso representa a possibilidade de fazer o bem para outra pessoa que precisa viver”, disse Juliana.

Vale lembrar que o Brasil tem o terceiro maior registro de doadores voluntários de medula óssea do mundo. Para Robson Trindade, que ficou apenas vinte e dois dias na lista de espera, a esperança de receber uma medula é muito grande no dia a dia, e a dele veio de um doador de Natal (RN).

“Descobri que precisava fazer o transplante quando tinha apenas 19 anos. Fiz todo o procedimento que o Redome pediu e, no prazo de um mês, consegui um doador. Entendo que renasci, através desse gesto nobre que o doador fez”, avaliou ele.

A hematologista Paloma Borges proferiu uma palestra na ALMT sobre como proceder para ser um doador e ainda o que é necessário para fazer parte da equipe de voluntários.

“É um trabalho simples de ambos os lados, tanto do doador quanto da equipe médica. Basta procurar o Hemocentro e verificar o que precisa para ser voluntário”, disse a médica.

De acordo com a hematologista, qualquer pessoa que tenha entre 18 e 54 anos de idade e boa saúde, pode se candidatar a ser um doador. Basta procurar o Hemocentro para fazer uma coleta da amostra de sangue para testar as características genéticas, para seleção de um doador.

“Se você for compatível será convidado para decidir sobre a doação, passando por uma avaliação clínica com o médico, dando mais informações”, adiantou ela.

A presidente de honra da Sala da Mulher, Maria Tereza Maluf, participou da abertura e falou que, antes da doação, o doador faz um rigoroso exame clínico incluindo exames complementares para confirmar o seu bom estado de saúde.

“Não há exigência quanto à mudança de hábitos de vida, trabalho ou alimentação. Entendo que é mais uma conscientização da população para fazer o cadastramento e participar diretamente na campanha”, destacou ela.

A programação da Semana de Conscientização prossegue amanhã (24), também às 9 horas, no auditório do estacionamento da UNIC Beira Rio, com o doutor Henrique Crepaldi (hematologista e oncologista) e a doutora Sueli Santos Araujo (hematologista e oncologista pediátrica).