Com parcerias, unidade prisional leva qualificação profissional a reeducandos

18 reeducandos foram qualificados em pintura predial e outras turmas fizeram cursos de marcenaria e aproveitamento de resíduos de madeira

Foto por: Sispen

Uma parceria entre a cadeia pública de Jaciara, Secretaria de Assistência Social do município, Sine e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-MT) possibilitou a qualificação profissional em pintura de obras a 18 reeducandos. Os certificados foram entregues nesta semana na unidade prisional.

Lizeu Dutra é um dos beneficiados com a qualificação e agradece a oportunidade recebida. “Todos estão sempre aqui dando oportunidade para nós. Foi muito bom aprender uma profissão a mais. A gente só tem a agradecer por tudo que vocês têm feito, estão acreditando na mudança do reeducando”.

O diretor da unidade prisional, Ricardo Simplício, afirma que sempre busca parcerias para ofertar qualificação e capacitação, proporcionando ensino e trabalho aliados à disciplina, e a Prefeitura Municipal apoia as ações na cadeia, com demais parceiros como o Senai, que oferta gratuitamente os cursos de qualificação. “Cobramos bom comportamento e respeito às regras e em contrapartida vamos atrás de cursos, de oportunidades de aprendizagem para que ao sair daqui eles possam seguir um novo rumo em suas vidas, buscar uma segunda chance. Para alguns deles acaba sendo a primeira chance, alguns nunca tiveram a oportunidade, nem uma chance de emprego”, explica o agente penitenciário, acrescentando que um dos reeducandos que fez os cursos de pintura e de marcenaria e saiu da unidade, hoje está empregado.

O reeducando Hermes Ferreira destaca a importância da qualificação diante da perspectiva de sair da unidade prisional após cumprir a pena. “Durante o curso de pintura nós aprendemos muitas coisas. E é um meio de vida para quem está aqui dentro saber que vai sair com uma profissão. Uma nova vida para quem quer renovar a vida para o lado de fora”.

A secretária de Assistência Social de Jaciara, Luciana Cristina dos Santos, falou da necessidade do município em trabalhar pela inclusão social dos reeducandos. “”É uma junção da Assistência Social, Sine e Senai, para fazer a inclusão social. Agradeço ao Simplício que nos atende muito bem, sempre que possível estaremos viabilizando esses cursos na Cadeia Pública de Jaciara”, ressaltou.

Como parte das aulas do curso profissionalizante, os reeducandos fizeram a pintura do prédio da unidade prisional.

Oficinas laborais

A cadeia pública de Jaciara abriga aproximadamente 74 presos da região. No local, a direção e servidores penitenciários coordenam atividades educativas e laborais com os reeducandos, como oficina de marcenaria e horta. A venda dos móveis fabricados no local é revertida na compra de insumos para a marcenaria e também em melhorias na unidade.

Neste ano, os reeducandos já receberam três cursos profissionalizantes de marcenaria, pintor de obras e aproveitamento de resíduos de madeira.

Com informações da Prefeitura de Jaciara