Com mais de 6,5 mil ocorrências, MT lidera ranking nacional de queimadas

consumo das festas de final de ano aumentam a produção de resíduos na capital

Mato Grosso lidera o ranking nacional de queimadas, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). De janeiro a 28 de junho deste ano, foram registrados 6.574 casos de queimadas no estado, um aumento de 32% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 4.986 ocorrências foram registradas.

O número é alto, principalmente quando comparado ao segundo estado do ranking nacional, Roraima, que registrou 3.161 casos neste mesmo período, o que representa menos da metade das ocorrências registradas em Mato Grosso.

Dados do Corpo de Bombeiros apontam que a fatores climáticos como o El Niño, que está mais intenso neste ano do que a média dos anos anteriores, deixam o clima seco por mais tempo, o que, somado à baixa umidade relativa do ar, contribui para o aumento de focos de queimadas no estado. No entanto, a ação humana de colocar fogo na mata para limpar o terreno, sem respeitar a legislação ambiental, ainda é a principal causa das queimadas em Mato Grosso.

Segundo o levantamento do Corpo de Bombeiros, 86,74% dos focos de calor estão concentrados em propriedades privadas. encontra-se nas propriedades privadas e afins representando 86,74 % deste índice. O restante é distribuído em projetos de assentamento (4,28%), terras indígenas (7,02%), unidades de conservações federais e estaduais, (0,58%) e (0,94%), respectivamente, e a região metropolitana de Cuiabá (0,44%).

Estratégia de combate

Segundo os bombeiros, o aumento de casos de incêndios fez com que, além dos 18 batalhões já existentes, os militares treinem agentes para enfrentar o fogo em oito municípios do interior do estado.

Além disso, o número de homens de combate ao fogo irá aumentar de 125 para 250 de julho a outubro deste ano. Outra estratégia do Corpo de Bombeiros é criar brigadas volantes, que percorrem os pontos mais críticos do estado durante esse período.