Cia. de Teatro Caravan Maschera apresenta versão de Vidas Secas com bonecos em Rondonópolis

Grupo de Atibaia, interior de São Paulo, chega a Rondonópolis com uma versão Teatral da obra de Graciliano Ramos, com bonecos e sem palavras.

Cia de Teatro Caravan Maschera apresenta versão de Vidas Secas com bonecos

Depois de uma turnê pelo interior do Brasil passando pelos estado de SP, PR, MG, ES, BA, SE e AL, a Caravan Maschera, Cia. de Teatro da cidade de Atibaia, interior de São Paulo, realiza em Rondonópolis três apresentações do espetáculo Vidas Secas. O projeto conta com o patrocínio da Petrobras, por meio da Lei Rouanet, que traz também oficinas direcionadas a arte educadores, apresentações em meio escolar e ainda na APAE de Rondonópolis.

A Cia ítalo-brasileira, formada pelos artistas Giorgia Goldoni e Leonardo Garcia Gonçalves, apresenta uma adaptação inusitada do mestre Graciliano Ramos fazendo uso de bonecos, máscaras e de uma trilha musical contemporânea e sem palavras.

Além das apresentações e oficinas, a Cia. atibaiense propõe um encontro de compartilhamento e vivência com artistas locais da Cia. de Teatro Rondonópolis dirigidos por Marcos Leque e Marcio Martins, no intuito de difundir suas experiências, percepções e reflexões sobre o teatro de pesquisa.

Os espetáculos da Cia. Caravan Maschera convergem para montagens com toques de cultura popular brasileira em busca de sempre readaptar e recriar a fábula, o tema ou o espetáculo.

“A cultura popular brasileira é o elo que permite discutir temas variados e complexos” – afirma Leonardo Garcia, diretor do Espetáculo.

Vidas Secas bebe em toda a fonte visual dos quadros de Portinari sobre os retirantes e as situações desenhadas por Graciliano Ramos. A temática nordestina popular, neste caso, está na própria materialidade da cenografia e dos bonecos.

Vidas Secas sem palavras

Para a Cia. Caravan Maschera, a necessidade de se adaptar a obra de Graciliano Ramos é imprescindível à atualidade, entretanto, o intuito do espetáculo Vidas Secas não é “ilustrar” a temática da obra do autor pelas palavras e sim traduzir em imagens, bonecos com situações de tensão corporal e musical para fazer com que o espectador se relacione com o tema.

“Aquela família de retirantes ainda não é, infelizmente, uma imagem anacrônica. Sobretudo a questão da incomunicabilidade e da situação de extrema repressão psicológica, física e emocional exercida não por uma pessoa, mas por um contexto social, econômico e racial que ultrapassa as fronteiras do sertão nordestino do Brasil. Sabíamos desde o início que o discurso literal e textual não seria suficiente para fazer com que o público contemporâneo se emocionasse e fosse afetado pelo texto. Suprimir a palavra é essencial para dar espaço ao público como parte (re)criadora do texto e do contexto da obra. Sem as palavras concretas ditas em cena, dá-se ao público a liberdade de imaginar e de se projetar sobre os personagens e suas situações

vividas no decorrer da trama. A ausência da palavra sobre o palco é preenchida pela idiossincrasia de quem assiste.” – Completa Leonardo Garcia.

Vidas Secas é uma obra imagética que transforma continuamente os signos, os significados e os sentidos do contexto atual e histórico da seca, da angústia e da esperança do sertanejo que transcende os regionalismos geográficos e a temporalidade das épocas.

Sobre a Cia. Caravan Maschera

Caravan Maschera tem como proposta uma teatralidade baseada no teatro de bonecos, máscaras e formas animadas. Sua sede brasileira se encontra em Zona rural da cidade de Atibaia-SP, onde desenvolve ações de promoção e fomento das artes em geral. Desde 2011 é contemplada com diversos Prêmio de fomento ao teatro: ProAC, Funarte, MinC, Comunidade europea (EACEA). Entre 2010 e 2011 participou do projeto europeu Masks on Stage que permitiu à Cia participar de residências artistas na França, Itália, Alemanha, Rep. Tcheca e Espanha.

Serviço:

SESC RONDONÓPOLIS

Sexta-Fera 26 de Abril – 8h e 14h – Agendamento Escolar

Sábado 27 de Abril – 20 Horas – Aberto ao público em geral

Ingressos gratuitos no local (Retirar com uma hora de antecedência)

Classificação: 12 anos

60 minutos